As aprovações de vacinas oferecem esperança à medida que casos globais da Covid aumentam

ANÚNCIO

No final de 2020, as notícias das primeiras aprovações da vacina Covid-19 foram um grande alívio para os governos nacionais e seus cidadãos. 

Ainda assim, com as taxas de infecção de Covid-19 aumentando em muitos países e com o surgimento de mais variantes infecciosas do vírus, a necessidade de vacinação generalizada torna-se mais urgente e os reguladores em todo o mundo estão agora correndo para avaliar e aprovar vacinas. 

ANÚNCIO

A vacina BioNTech-Pfizer foi aprovada pela primeira vez pelo Reino Unido em 2 de dezembro e agora tem aprovação em quase 50 países. 

As aprovações de vacinas oferecem esperança à medida que casos globais da Covid aumentam
Foto: (Reprodução/ Internet).

A vacina da Moderna também obteve aprovação de emergência nos Estados Unidos e no Reino Unido em dezembro, com o sinal verde da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) na semana passada. Ambas são vacinas de RNA e mostraram eficácia em torno de 95% em seus ensaios clínicos.

Leia também: O coronavírus nos tornou consumidores mais éticos?

ANÚNCIO

A vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca, baseada em um vetor de adenovírus de chimpanzé, também foi aprovada no Reino Unido, assim como na Índia e na Argentina. No entanto, os reguladores de medicamentos dos EUA e da UE não estão satisfeitos com o teste no Reino Unido, que inicialmente parecia promissor.

Aprovações em todos os lugares

As aprovações de vacinas oferecem esperança à medida que casos globais da Covid aumentam
Foto: (Reprodução/ Internet).

Vacinas desenvolvidas em outras partes do mundo também estão ganhando aprovação. A vacina russa Sputnik V desenvolvida pelo Centro Gamaleya foi aprovada na Rússia, Bielo-Rússia, Argentina e Guiné. 

É baseado em dois vetores adenovirais humanos diferentes e tem uma eficácia relatada de mais de 90%, mas os resultados completos do ensaio ainda não foram publicados e alguns cientistas dizem que os resultados são baseados em dados inadequados.

Saiba mais: Por que você ainda deve usar uma máscara e evitar multidões depois de receber a vacina COVID-19

Muitas pessoas dizem que é baseado apenas em 20 casos, então não tem energia suficiente, mas uma série de vacinas internacionais como [Haemophilus influenzae tipo B] tiveram testes essenciais com cerca de tantos casos”, contrapõe Mulholland.

A China aprovou a vacina de seu desenvolvedor estatal Sinopharm em 31 de dezembro. Esta vacina é um vírus Sars-CoV-2 inativado que a Sinopharm diz mostrar 79% de eficácia, mas ‘[Sinopharm] não divulgou nenhum detalhe, então estamos esperando para ver uma publicação‘, observa Mulholland. A vacina ainda está em testes no Peru, Argentina, Egito, Jordânia e Emirados Árabes Unidos.

As aprovações de vacinas oferecem esperança à medida que casos globais da Covid aumentam
Foto: (Reprodução/ Internet).

A empresa chinesa de biotecnologia Sinovac também está perto de obter a aprovação para sua vacina candidata inativada (CoronaVac). 

Ele publicou dados sobre primeiros ensaios clínicos em novembro. Pesquisadores brasileiros, conforme relatado na Science, disseram que a vacina teve eficácia de 78% na prevenção de Covid-19 leve e preveniu completamente a doença grave, mas a eficácia geral foi revisada para 50%.

Veja também: Casos de pneumonia por conta da COVID-19 exigirão cuidados intensivos

Conforme as aprovações são concedidas, as empresas começaram a desenvolver a fabricação e o fornecimento em grande escala. A vacina BioNTech – Pfizer deveria entregar 45 milhões de doses em 2020 e mais de um bilhão em 2021. 

Moderna diz que pode fazer entre 600 milhões e 1 bilhão de doses este ano: grande parte das quais se destina aos EUA. E a AstraZeneca estima que pode produzir 2 bilhões de doses em 2021.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: Chemistry World e NPR

ANÚNCIO