Casos de pneumonia por conta da COVID-19 exigirão cuidados intensivos

ANÚNCIO

Com as unidades de terapia intensiva para COVID-19 atingindo números exorbitantes, tendo em vista a capacidade máxima de macas e leitos em todo mundo, os médicos estão tendo que tomar decisões difíceis, pois não há espaço para todos e infelizmente isso está causando grandes problemas humanitários

A maioria das pessoas que pegam COVID-19 conseguem se recuperar com tranquilidade após 14 dias, algumas podem desenvolver pneumonia e sentir fortes percas de respiração. Um novo algoritmo pode nos ajudar a fazer uma triagem sobre esses casos.

ANÚNCIO

Esse algoritmo é derivado de uma abordagem de maquina, essas abordagens fazem varreduras no tórax dos pacientes e faz uma possível previsão se aquela pessoa está em caso grave e necessita de fato de um leito hospitalar.

imagem do artigo principal
Foto: (Reprodução/ Internet).

A máquina procura anormalidades pulmonares, também podem detectar pneumonia relacionada a COVID-19 em cerca de 90% dos casos.

Leia também: Uma análise diária dos sintomas do COVID-19 mostra como a doença progride

ANÚNCIO

Todavia, essas varreduras não podem nos dizer que é mais suscetível a falecer mais rápido caso o cuidado não seja dado com antecedência máxima. Essa abordagem foi testada usando dados de saúde de 295 pacientes hospitalizados por COVID-19 nos Estados Unidos, Irã e Itália.

Qual é a expectativa da equipe com essa triagem? É confiável?

O novo algoritmo quantifica a extensão e o volume das características pulmonares, após isso, ele se concentra nas características que são mais importantes na previsão da pneumonia por COVID-19. 

Foto: (Reprodução/ Internet).

A equipe está na expectativa de que essa ferramenta possa ser útil e que caso seja mais sofisticada e trabalhada poderá dar maiores retornos sobre a sua futura eficácia.

Fique por dentro: Cientistas encontram tecido no olho humano que parece resistente ao SARS-CoV-2

A equipe sugerem que o algoritmo pode ser útil mesmo quando a pandemia acabar.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO