À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI

ANÚNCIO

Na Itália, filas de ambulâncias estacionam fora de hospitais esperando leitos, e na França, o aplicativo governamental de rastreamento de coronavírus exibe com destaque a capacidade de terapia intensiva ocupada por pacientes COVID-19: 92,5% e aumentando. 

Na UTI de Barcelona, não há fim à vista para os médicos e enfermeiras que já passaram por isso.

ANÚNCIO

O tratamento intensivo é a última linha de defesa para pacientes com coronavírus gravemente enfermos e a Europa está ficando sem leitos e médicos e enfermeiras para atendê-los.

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Um paramédico na UTI em Varese, Itália. Foto: (Reprodução/ Internet)

Em um país após o outro, a carga de terapia intensiva dos pacientes com COVID-19 está se aproximando e às vezes ultrapassando os níveis observados no pico da última primavera. 

Saiba mais: As máscaras com revestimento antiviral oferecem mais proteção?

ANÚNCIO

Autoridades de saúde, muitas defendendo um retorno aos bloqueios mais rígidos, alertam que adicionar leitos não vai adiantar porque não há médicos e enfermeiras treinados em número suficiente para atendê-los.

A França sofre a segunda onda do COVID-19

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Foto: (Reprodução/ Internet)

Na França, mais de 7.000 profissionais de saúde passaram por treinamento desde a primavera passada em técnicas de terapia intensiva. Estudantes de enfermagem, estagiários, paramédicos, todos foram convocados, segundo o ministro da Saúde, Olivier Veran.

Leia também: A pandemia revelou como a obesidade pode prejudicar o corpo, mesmo a curto prazo

Ao contrário da primeira onda da primavera passada, o vírus está agora em toda a França, tornando menos práticas as transferências de uma região para outra por trem de alta velocidade.

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Foto: (Reprodução/ Internet)

Para o paciente médio de coronavírus com sintomas graves, leva de sete a 10 dias para ir da infecção à hospitalização. Os internados geralmente precisam ficar semanas, mesmo com a chegada de mais pacientes.

Veja também: É oficial. O mundo já ultrapassou 50 milhões de casos confirmados de coronavírus

Pacientes da França, Bélgica e Holanda estão sendo evacuados para unidades de terapia intensiva alemãs, mas médicos alemães dizem que estão observando o número de leitos gratuitos diminuir rapidamente.

Os números da pacientes da Alemanha permanecem em alta

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Foto: (Reprodução/ Internet)

Só nas últimas duas semanas, o número de pacientes com coronavírus tratados em UTIs na Alemanha quase triplicou, de 943 para 2.546.

Leia também: A Pfizer diz que a vacina COVID-19 parece 90% eficaz

A Alemanha possui cerca de 34,5 leitos de UTI por 100.000 habitantes, sem incluir a reserva de emergência. A Itália tem 10, enquanto a França tem 16.

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Foto: (Reprodução/ Internet)

A Espanha tem as mesmas limitações, mas já suportou mortes por coronavírus em uma escala que a Alemanha ainda não viu.

Leia também: Biden aclama o reforço pela vacina, guerra contra o vírus continua

Nos sete meses desde o início de março até ao final de setembro, Portugal contabilizou oficialmente mais de 75.500 casos de COVID-19. Só no mês de outubro, contabilizou quase 66.000.

Existem alguns sinais de esperança para a Europa?

À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI
Foto: (Reprodução/ Internet)

Possivelmente sim, a Bélgica, proporcionalmente entre as nações mais atingidas na Europa quando se trata de casos de coronavírus, está vendo cada vez mais indicações de um ponto de inflexão na crise após um bloqueio parcial. 

Fique por dentro: Biden implora “usem máscara” para combater a ameaça do vírus

As internações hospitalares parecem ter atingido o pico de 879 no dia 3 de novembro e caíram para cerca de 400 no domingo.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

ANÚNCIO