Você acha que é bom em reconhecer rostos? Faça o teste

ANÚNCIO

Reconhecer faces tem sido uma habilidade social importante na evolução de nossa espécie. Mas nossa capacidade de reconhecer rostos varia muito mais do que você imagina.

Em uma extremidade da escala estão aqueles com cegueira para rostos – uma condição em que as pessoas lutam para reconhecer rostos. Na outra ponta estão os ‘superreconhecedores‘, pessoas que podem memorizar e lembrar rostos em circunstâncias passageiras ou pouco notáveis, às vezes anos depois do fato.

ANÚNCIO

Então onde você fica nessa escala? 

Você acha que é bom em reconhecer rostos? Faça o teste
Foto: (Reprodução/ Internet)

Na Austrália, acabam de publicar uma pesquisa sobre um teste que pode dar uma indicação. O teste facial UNSW dura aproximadamente 15 minutos e é notoriamente difícil. 

Fique por dentro: Natal chegou e você sabia dessas 3 curiosidades?

ANÚNCIO

Em duas partes, o teste mostra várias fotos de rostos e pede para você confirmar quais são das mesmas pessoas.

Das 31.000 pessoas que fizeram o teste, ninguém ainda conseguiu acertar 100%, então a equipe está bastante confiante de que o desafio está funcionando como planejado.

Você acha que é bom em reconhecer rostos? Faça o teste
Foto: (Reprodução/ Internet)

Encontrar super-reconhecedores é desafiador porque eles representam apenas 2 a 3% da população em geral.

Fique por dentro: Cientistas dizem que reverteram parcialmente um processo de envelhecimento celular em humanos

Infelizmente, se você tentar o teste e pontuar abaixo do que esperava, pode não haver muito que você possa fazer.

Você acha que é bom em reconhecer rostos? Faça o teste
Foto: (Reprodução/ Internet)

Outra pesquisa mostrou que aqueles que têm empregos que combinam rostos durante todo o dia (como oficiais de passaportes) quando testados cometeram erros 20% das vezes. Portanto, nossa capacidade de reconhecer rostos pode ser – pelo menos em parte – uma característica inata.

Fique por dentro: As máscaras com revestimento antiviral oferecem mais proteção?

O que descobriram é que o reconhecimento de rosto varia naturalmente, como o QI. E, assim como o QI, parece que uma grande proporção dessa variação é determinada geneticamente.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO