Ruptura: os EUA podem estar prestes a ter uma segunda vacina COVID-19 aprovada

ANÚNCIO

Um painel de especialistas dos EUA votou na quinta-feira para recomendar a aprovação emergencial da vacina Covid-19 da Moderna, abrindo caminho para que seis milhões de doses comecem a ser vendidas neste fim de semana.

A Food and Drug Administration agora deve conceder em breve uma autorização de uso de emergência (EUA), o que tornaria a vacina da Moderna a segunda a ser aprovada em um país ocidental.

ANÚNCIO

O painel votou 20 a favor, nenhum contra e uma abstenção.

Eles foram solicitados a responder à pergunta: “Com base na totalidade das evidências científicas disponíveis, os benefícios da vacina Moderna COVID-19 superam seus riscos para uso em indivíduos com 18 anos de idade ou mais?

Ruptura: os EUA podem estar prestes a ter uma segunda vacina COVID-19 aprovada
Foto: (Reprodução/ Internet)

O epidemiologista Arnold Monto, que presidiu a discussão transmitida ao vivo, disse que nada deve ser lido sobre o fato de que a votação foi ainda mais esmagadora do que a da semana passada a favor da vacina Pfizer-BioNTech.

ANÚNCIO

Os acadêmicos têm uma maneira de se envolver nos detalhes, e o que temos feito nas últimas oito ou nove horas foi repassar os detalhes“, disse ele.

A reunião ocorreu enquanto o número de mortes por coronavírus rapidamente se aproxima de 310.000 no país mais atingido no mundo, que esta semana começou a vacinar profissionais de saúde e residentes de longa permanência com a vacina Pfizer.

Ambos os pioneiros são baseados em tecnologia de mRNA (ácido ribonucléico mensageiro) de ponta, que nunca havia sido aprovada antes da pandemia, e ambos são regimes de duas doses.

Ruptura: os EUA podem estar prestes a ter uma segunda vacina COVID-19 aprovada
Foto: (Reprodução/ Internet).

Embora o nível de proteção contra Covid-19 para ambos seja de cerca de 95% – muito maior do que os especialistas pensavam que era possível – agora há um punhado de pessoas em todo o mundo que desenvolveram reações alérgicas significativas após receber a vacina Pfizer.

Leia também: Coronavírus: Como os europeus estão se preparando para o Natal e Ano Novo

Os Estados Unidos, que registraram mais de 17 milhões de casos do vírus, provavelmente se tornarão o primeiro país a aprovar a vacina Moderna.

A pequena empresa de biotecnologia sediada em Massachusetts se associou a cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos para desenvolver o produto e recebeu mais de US $ 2,5 bilhões do governo dos Estados Unidos por seus esforços.

Proteção contra infecção

Ruptura: os EUA podem estar prestes a ter uma segunda vacina COVID-19 aprovada
Foto: (Reprodução/ Internet).

Um ensaio clínico com 30.400 pessoas descobriu que era 94,1% eficaz na prevenção do Covid-19 em comparação com um placebo, tendo um desempenho ligeiramente melhor em adultos jovens em comparação com os idosos.

Fique por dentro: Final de ano, trabalho e o COVID-19: Celebrações e pandemia, como comemorar de forma saudável?

Jacqueline Miller, vice-presidente de desenvolvimento de doenças infecciosas da Moderna, disse na quinta-feira que havia uma forte sugestão de que a vacina também protegia a maioria das pessoas contra a infecção, o que é importante do ponto de vista da saúde pública, pois preveniria a transmissão progressiva.

Uma revisão do FDA de todos os dados disponíveis revelou que “não foram identificados problemas de segurança específicos“.

Dilema do placebo

Ruptura: os EUA podem estar prestes a ter uma segunda vacina COVID-19 aprovada
Foto: (Reprodução/ Internet).

A Moderna foi criticada pelo especialista em Stanford Steven Goodman por causa de seus planos de oferecer a vacina aos participantes de seu ensaio que receberam o placebo, antes mesmo que ela estivesse normalmente disponível para seu grupo demográfico.

Isso privaria o teste de um grupo de controle e reduziria a qualidade dos dados que poderiam ser obtidos dele, além de abrir um precedente ruim para testes futuros, disse ele.

Leia também: Novas evidências sugerem que a COVID-19 pode ser um tipo de doença auto-imune. Aqui está o porquê

Até o momento, houve três relatos de paralisia de Bell – uma condição de paralisia facial, na maioria das vezes temporária – no grupo da vacina e um no grupo do placebo.

O FDA disse que não havia informações suficientes para determinar se qualquer uma das vacinas era a causa, mas continuará monitorando.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO