Protesto na Bielorrússia: Hackers vazam dados de 2.000 policiais bielorrussos antes do último comício em massa

ANÚNCIO

Os dados pessoais de 2.000 policiais bielorrussos foram vazados por hackers anônimos em retaliação à repressão às manifestações contra o presidente Alexander Lukashenko , enquanto mais de 100.000 pessoas marcharam por Minsk pelo sexto fim de semana consecutivo.

Muitos caminharam em uma coluna que se estendia por vários quilômetros, vestidos com as cores vermelho e branco da oposição e gritando “vá embora” enquanto a tropa de choque patrulhava as ruas, disse uma testemunha.

ANÚNCIO

Pelo menos 196 pessoas foram detidas em todo o país no domingo, disse o grupo de direitos humanos Spring-96.

Apoiadores da oposição bielorrussa protestam contra os resultados das eleições presidenciais em Minsk
Apoiadores da oposição bielorrussa protestam contra os resultados das eleições presidenciais em Minsk (Reuters)

A agência de notícias russa Tass citou a polícia dizendo que pelo menos 10 pessoas foram detidas, enquanto vídeos compartilhados pela mídia local mostraram forças de segurança usando capacetes e máscaras retirando os manifestantes das ruas.

Centenas de soldados bloquearam o centro da capital, posicionando canhões de água e veículos blindados de transporte de pessoal e erguendo barreiras de arame farpado.

ANÚNCIO

Veja também: O líder da Bielo-Rússia busca conter os protestos gradualmente

Mas em um comunicado distribuído pelo canal de notícias da oposição Nexta Live no aplicativo de mensagens Telegram, os hackers disseram: “À medida que as prisões continuarem, continuaremos a publicar dados em grande escala.

“Ninguém permanecerá anônimo, mesmo sob uma balaclava.”

O primeiro lote de 1.000 nomes foi lançado no sábado e amplamente distribuído nos canais do Telegram.

Putin diz que Rússia pode enviar policiais a Belarus para conter protestos contra Lukashenko | Mundo | G1
Foto: (Reprodução/ Internet).

O segundo lote de mais de 1.000 nomes foi divulgado na noite de domingo, visando policiais na cidade de Brest, no oeste do país, onde os hackers disseram que a polícia foi particularmente severa.

O governo disse que vai encontrar e punir os responsáveis ​​pelo vazamento dos dados.

Fique por dentro: Pesquisadores da Bielorrússia descrevem fraude na eleição de 9 de agosto

O presidente rejeitou sugestões de diálogo com os manifestantes.

A União Europeia prometeu impor sanções ao governo de Lukashenko por supostas fraudes eleitorais e abusos aos direitos humanos semanas atrás, mas parece que perderá seu próprio prazo para ação na segunda-feira.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: INDEPENDENT

ANÚNCIO