Descubra quais são os insetos mais venenosos do mundo

ANÚNCIO

[nextpage]

Foto: (reprodução/internet) 

Cerca de 1 milhão de espécies de insetos já foram catalogadas, mas os cientistas estimam que o total pode chegar até em 10 milhões! A classe Insecta representa cerca de ¾ de toda a vida animal do planeta Terra. Os insetos podem ser divididos em grupos com base no perigo: aqueles que transmitem doenças, são venenosos e outros que são considerados pragas.

Pela imensidão de espécies, os entomologistas (especialistas em insetos) nunca fizeram uma lista definitiva sobre os insetos mais venenosos do mundo, mas dá para ter uma noção. Clique em Próximo e saiba quais são os animais da classe Insecta mais perigosos que existem.

[/nextpage][nextpage]

Formiga-cabo-verde (Paraponera clavata): a temível “formiga bala”

Foto: (reprodução/internet) 

É a maior família de formigas do mundo e possui uma infinidade de nomes: formiga bala (bullet ants), tocandira, tocantera, cabo-verde e outros.Os nomes da espécie são originárias da língua tupi tukã di e significam “fere muito”, isso porque a mordida e a picada desta formiga são uma das mais dolorosas do mundo. Com um tamanho variando entre 18 a 30 mm, as formigas cabo-verde está presente em alguns países da América Central e do Sul (principalmente em Nicarágua e Paraguai).

O nome “formiga bala” deriva da dor semelhante que a vítima sente ao ser picada por esta formiga – que é cerca de 30 vezes mais dolorosa que a picada por abelhas produtoras de mel e vespas. A dor causada dura um dia inteiro, e o neurotóxico liberado causa paralisia, queimação, latejamento e náusea.

[/nextpage][nextpage]

Dorylus: formigas que até os elefantes temem 

Foto: (reprodução/internet) 

Conhecida por apresentar a maior colônia de formigas do mundo (cerca de 22 milhões de membros), a formiga Dorylus é capaz de matar milhares de animais – de diferentes classes, ordens e tamanhos- com uma única incursão/ataque. Estas formigas fazem repetidas feridas em animais usando suas mandíbulas -aterrorizantes só pela imagem.

Além disso, ataca todos os animais que encontram no caminho (até mesmo os elefantes que possuem um incomparável altura, correm dos ataques em grupo destas formigas). As formigas Dorylus também atacam ninhos de outros insetos para se alimentar e também para matar por esporte. Elas são encontradas principalmente no continente africano.

[/nextpage][nextpage]

Moscas Tsé Tsé: inseto com a picada mais mortal do mundo 

Foto: (reprodução/internet) 

Nativo da África, a mosca TseTse tem a picada mais mortal do mundo e se alimentam do sangue de animais vertebrados. É estimado que pelo menos meio milhão de pessoas tenham morrido pelo ataque da mosca africana. Este inseto perigoso injeta uma poderosa toxina no corpo da vítima e causa uma “doença de sono” – que muitas vezes a vítima não chega a acordar.

A espécie do gênero Glossina transmitem o Trypanosoma brucei, o trypanosoma causador da doença do sono (o poder desse parasita é tanto que quando uma pessoa é picada, o cérebro dela é afetado em pouquíssimo tempo). Além disso, também causa febre, dores de cabeça, musculares e muitos outros efeitos.

[/nextpage][nextpage]

Oestridae: larvas que penetram na pele 

Foto: (reprodução/internet) 

Oestridae se baseia em uma família de moscas, que inclui espécies de larvas que parasitam diversos mamíferos. As larvas dessas moscas são encontradas principalmente nas Américas Central e do Sul e podem se instalar tanto na carne do hospedeiros quanto em suas vísceras ou até mesmo na pele. A infestação de parasitas causa a Myiasis, onde as larvas causam graves alterações no tecido da pele.

A fêmea Oestridae deposita os ovos na pele dos mamíferos e também no corpo de mosquitos, e as larvas podem viver nesses locais por cerca de dois meses. As vítimas podem sentir o movimento das larvas sob a pele- a boa notícia é que as mesmas saem quando estão toda desenvolvida.

[/nextpage][nextpage]

Sifonápteros: pulgas que se hospedam em humanos 

Foto: (reprodução/internet) 

As pulgas são parasitas externos capazes de se alimentar do sangue de humanos, répteis, pássaros, animais domésticos (pets) e selvagens. Essas pulgas geram coceira na pele dos hospedeiros e quando são jovens, consegue se alimentar com sangue mais de 15 vezes do que seu peso corporal total.

Diferente do que muitos pensam, as pulgas são sim insetos que vivem como parasitas e que picam os hospedeiros, resultando em inchaços vermelhos, infecção, coceira e outros efeitos. Sifonápteros é o nome comum da espécie de insetos que não possuem asas e que são parasitas externos em hospedeiros. As pulgas são muito encontradas nas regiões do Brasil.

[/nextpage][nextpage]

Formiga-lava-pés: as formigas de fogo encontradas no Brasil 

Foto: (reprodução/internet) 

No mundo há cerca de 285 espécies diferentes da formiga-lava-pés, mas todas são agressivas e responsáveis por umas dolorosas picadas em humanos e outros animais. O veneno liberado por esta formiga causa problemas na pele, reação alérgica e muitos outros efeitos na vítima. O tamanho destas variam entre 3,5 a 5,0 mm de comprimento – aqui tamanho não é documento.

Também conhecida como formiga-de-fogo (Solenopsis saevissima), as formigas-lava-pés ocasionam uma pústula branca no local da picada – uma dor que persiste durante semanas. Estas são muito encontradas no Brasil, em formigueiros expostos e reagem agressivamente quando são perturbadas. Além de causar prejuízos a animais, elas também são conhecidas como pragas das plantações.

[/nextpage][nextpage]

Triatominae: responsáveis por transmitir a Doença de Chagas 

Foto: (reprodução/internet) 

Os membros da família de insetos Triatominae (também conhecidos como “barbeiros” por terem o hábito de picar o lábio humano enquanto este dorme), crescem se alimentando do sangue de vertebrados. Além disso, eles também transmitem o parasita conhecido como Trypanosoma Cruzi. Causador da doença conhecida Doença de Chagas, o inseto causa mais de 12 mil pessoas a cada ano (só no Brasil são 5 mil).

Um destaque para esse inseto é a capacidade dele espalhar a doença para humanos e também para pets – tudo isso através das fezes destes animais e entra no sangue das vítimas. A picada do Triatominae causa efeitos imediatos no copo: erupções na pele e vergões.

[/nextpage][nextpage]

Abelhas africanas: insetos mais agressivos do mundo 

Foto: (reprodução/internet) 

Também conhecidas como abelhas assassinas, os insetos africanos são alguns dos mais dominantes e perigosos do mundo. Diferente das europeias, as abelhas africanas atacam em bando e são capazes de injetar oito vezes mais toxinas em suas vítimas do que as europeias (tudo isso em cerca de 30 segundos). Desde a década de 50, mais de 1 milhão de pessoas foram atacadas e mortas pelas abelhas assassinas.

O grupo de abelhas africanas (repleto de centenas ou milhares de insetos) segue a vítima por mais de 1 milha e atacam com picadas repetitivas, causando consequentemente a morte da vítima. As abelhas assassinas miram principalmente na face e olhos dos humanos.

[/nextpage][nextpage]

Mosquitos: uma das maiores ameaças do mundo 

Foto: (reprodução/internet) 

Muitos não sabem mas os mosquitos representam as espécies mais perigosas da Terra. Eles são capazes de transmitir dengue, malária, zika vírus, febre amarela, vírus do Nilo oeste e encefalite. Os insetos causam cerca de 1 milhão de mortes a cada ano transmitindo a malária pelo mundo (uma das doenças mais perigosas). A doença é transmitida através de parasitas encontrados nos insetos, que estes picam as pessoas e contaminam com a malária.

Pela facilidade de transmissão, a malária é uma das doenças que mais precisa de atenção, isso porque os mosquitos transmitem-a de um lugar para o outro em pouco tempo. Segundo dados da OMS, a estimativa é que a cada 30 segundos uma criança morre por causa da malária e cerca de 500 milhões de casos são relatados a cada ano.

[/nextpage][nextpage]

Vespa mandarina: o inseto que voa a mais de 36 km/h 

Foto: (reprodução/internet) 

No mundo há cerca de 500 espécies de vespa, aproximadamente 300 delas têm veneno. Nativa da Ásia, as vespas mandarinas representam a maior espécie de vespas já catalogadas – e também são as mais venenosas. A toxina liberada durante a picada delas matam cerca de 40 pessoas por ano em todo o globo, causando insuficiência renal e dano nos tecidos do corpo.

As cruéis vespas atingem cerca de 50 milímetros de comprimento, 76 mm de envergadura e podem voar até 40 km/h. As vespas mandarinas atacam geralmente em grupo: o bando de insetos encontra um inimigo e liberam um feromônio capaz de atrair outras vespas para o ataque, onde picam a vítima repetidas vezes.

[/nextpage]

ANÚNCIO