Descubra quais os quadros de pintura mais caros do mundo

ANÚNCIO

[nextpage]

Foto: (reprodução/internet)

A arte sempre foi uma forma de expressão humana, desde as pinturas nas cavernas na Pré-História, o homem sempre teve a arte como comunicação. A única diferença é que atualmente os pintores são pagos com milhões de dólares por suas obras de arte (sem contar da fama mundial também). Um detalhe que deve ser levado em consideração é que a maioria dos pintores só ganham muita fama e dinheiro depois de mortos.

Os legados dos pintores valem muito mais dinheiro quando mortos do que durante a vida, e entre algumas das obras mais famosas também estão as mais caras do mundo. Alguns dos ícones dos quadros de pintura mais valiosos mundialmente são os renomados Picasso, Vincent Van Gogh, Edvard Munch e muitos outros. Clique em Próximo para saber quais são os quadros mais caros do mundo.

[/nextpage][nextpage]

Retrato de Dr. Gachet: vale US$ 152 milhões

Foto: (reprodução/internet)

O pintor holandês Vincent van Gogh foi sem dúvida um dos maiores nomes da história da arte. Considerado uma das figuras mais influentes do mundo artístico, ele quando foi encaminhado a um asilo pela segunda vez (nos últimos meses de vida), viria a criar uma das obras mais caras da pintura.

Valendo cerca de US$ 148,3 milhões, o quadro “Retrato de Dr. Gachet” mostra o Dr. Paul Gachet, médico que cuidou de Van Gogh. Atualmente, essa é uma das pinturas mais reverenciadas do artista. O empresário Ryoei Saito que comprou o quadro, chocou o mundo ao comprar obra acima do preço de mercado, isso ainda nos anos 90.

[/nextpage][nextpage]

Retrato de Adele Bloch-Bauer: vale US$ 158,4 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Pintado por Gustav Klimt em 1907, a obra “Retrato de Adele Bloch-Bauer” foi um dos primeiros retratos de Bloch-Bauer desenhado pelo artista (em sua época de ouro). Considerado o seu trabalho final, Gustav foi um conhecido pintor simbolista que teve sua obra comprada muitos anos depois da sua morte.

Em 2006, o empresário estadunidense Ronald Lauder (ele também é uma das pessoas mais ricas dos EUA) comprou o quadro por cerca de 135 milhões de dólares e resolveu não guardar a obra de arte em casa (o que foi muito inteligente). Atualmente, a obra do famoso austríaco Gustav se encontra em Nova York, na Neue Galerie.

[/nextpage][nextpage]

Le Rêve: vale US$ 158,5 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Uma das obras de Pablo Picasso foi “Le Rêve”, pintado quando o artista tinha 50 anos de idade. Retratando sua amante Marie-Thérèse Walter (na época tinha 22 anos), a obra foi pintada na tarde do dia 24 de janeiro de 1932 – segundo especialistas.

O quadro de Picasso valeu cerca de 155 milhões de dólares e foi comprada em 2013 pelo famoso empresário Steven A. Cohen, muito conhecido em Wall Street. Cohen estava desejando comprar o quadro desde 2006 porém Steve Wynn (o anterior dono da obra), pretendia vendê-lo por cerca de 137 milhões de dólares. Porém o negócio foi cancelado depois de um acidente envolvendo o cotovelo de Wynn e a obra, por fim o quadro foi restaurado e vendido a Cohen.

[/nextpage][nextpage]

Woman III: vale US$ 162,4 milhões

Foto: (reprodução/internet)

O quadro mais conhecido do pintor holândes Willem de Kooning foi Woman III”, pintado entre 1951 e 1953 durante uma série de quadros com a mesma personagem feminina. Sendo da época do expressionismo, a obra chamou muita atenção do mundo e também de Steven A. Cohen, que comprou o quadro por 154,5 milhões de dólares no ano de 2006.

O colecionador de arte (considerado um dos mais ricos), negociou o quadro em segredo com David Geffen, pelo Museu de Arte Contemporânea de Teerã. Na negociação, o quadro foi trocado pelo lendário manuscrito persa do séc.16, o Tahmasebi Shahnameh.

[/nextpage][nextpage]

No. 5, 1948: vale US$ 165,4 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Um dos quadros que foram vendidos por um preço muito alto foi o “No. 5, 1948”, do artista Jackson Pollock. O pintor norte-americano criou um quadro de grandes proporções e que contribui para o movimento expressionista abstrato. Em 2006, o co-fundador da Dreamworks SKG e da Geffen Records David Geffen, organizou uma venda do quadro (na época valia 160,8 milhões de dólares), porém o comprador não foi identificado e então David ficou com a obra.

A obra é um verdadeiro símbolo do expressionismo e foi pintada sobre uma placa de fibra ainda nos anos 80. Muitos não sabem mas Pollock tentou vender a obra e quando foi enviá-la ao comprador, a empresa de transporte estragou “No. 5, 1948”. Desde então, Jackson afirmou que ninguém sabia olhar os quadros deles como o próprio artista.

[/nextpage][nextpage]

The Card Players: vale US$ 274 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Pintado no final de sua vida (nos anos 1890), a obra “The Card Players” faz parte da série de seis telas do francês Paul Cézanne. O artista do pós-impressionista teve seu quadro vendido por cerca de 274 milhões de dólares pela Família Real do Qatar (uma das mais ricas do mundo), no ano de 2011. Com isso, o quadro de Paul se tornou a segunda pintura mais cara do mundo comprada pela família árabe.

A versão está exposta em Paris, no Musée d’Orsay. A compra milionária tornou o quadro de Cézanne uma das obras de arte mais valiosas da história da pintura pertencentes a um acervo.

[/nextpage][nextpage]

Garçon à la pipe (Rapaz com cachimbo): vale US$ 120,2 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Pintado no ano de 1905 durante o período rosa do espanhol Pablo Picasso, a obra conhecida como “Garçon à la pipe” foi vendida por cerca de 120,2 milhões de dólares no ano de 2004 em um leilão na Sotheby’s. A obra foi feita quando o artista tinha apenas 24 anos e apesar de não ser muito conhecida, é considerada uma das obras mais caras do mundo.

Em “Garçon à la pipe” é possível ver o estilo inicial de Picasso na carreira artística. O nome do comprador ainda permanece em segredo mas há muita polêmica porque o valor desembolsado por ele, não condiz com as opiniões dos críticos de arte. O debate envolveu o alto valor oferecido para uma obra não famosa de Picasso.

[/nextpage][nextpage]

Nu au Plateau de Sculpteur (Nu, Folhas Verdes e Busto): vale US$ 106,5 milhões

Foto: (reprodução/internet)

Outro dos quadros de pintura mais caros do mundo está o “Nu au Plateau de Sculpteur”, também do reinado espanhol Pablo Picasso. Feito no ano de 1932, o quadro está na lista de obras mais valiosas da história da arte (e com o maior preço de venda). A obra faz parte da famosa série de pinturas Marie-Thérèse Walter (vista anteriormente).

O quadro de óleo sobre tela (medindo 162 cm × 130 cm), foi negociado em um leilão no ano de 2010 por cerca de 106,5 milhões de dólares. O comprador de “Nu au Plateau de Sculpteur” fez o lance por telefone e preferiu não ter seu nome identificado.

[/nextpage][nextpage]

Le bal du moulin de la galette (O baile no moulin de La Galette): vale US$ 130,3 milhões

Foto: (reprodução/internet)

O quadro “Le bal du moulin de la galette” ficou famoso por retratar a vida parisiense do século XIX, e foi feito por Pierre-Auguste Renoir no ano de 1876. Um dos ícones do impressionista francês foi vendido nos anos 90 para o japonês Ryoei Saito em 1990, no valor de 130,3 milhões de dólares. Atualmente, a obra ainda é apontada como uma das representativas do período impressionista.

Diferente das outras obras vistas anteriormente, “Le bal du moulin de la galette” possui duas versões: a maior delas se encontra em Paris (no Musée d’Orsay) e outra foi negociada em segredo por Ryoei – que segundo especulações, teve que vendê-la por causa de situações financeiras.

[/nextpage][nextpage]

O Grito: vale US$ 121,1 milhões 

Foto: (reprodução/internet)

Em 1893, Edvard Munch viria a criar um dos mais símbolos da arte moderna: a obra chamada “O Grito”. Alvo de muitos roubos quando estava exposto no MOMA (Museu de Arte Moderna de Nova York), a obra ícone do movimento expressionista foi feita pelo conhecido artista noruegês e faz parte de uma série de quadro pinturas semelhantes.

Em 2012, o empresário estadunidense e amante de arte Leon Black comprou a obra num valor de 121,1 milhões de dólares. Além disso, ele também possui uma coleção de obras (no valor de 750 milhões de dólares) de renomados pintores como Vincent van Gogh, Pablo Picasso, J.M.W. Turner (aquarelas) e Raphael.

[/nextpage]

ANÚNCIO