Ativista da Bielo-Rússia resiste ao esforço de deportá-la para a Ucrânia

ANÚNCIO

Uma importante ativista da oposição na Bielo-Rússia foi detida na fronteira com a Ucrânia na terça-feira.

Depois de resistir a uma tentativa das autoridades de deportá-la como parte dos esforços do governo para encerrar um mês de protestos contra o autoritário presidente Alexander Lukashenko.

ANÚNCIO

Veja também: Pesquisadores da Bielorrússia descrevem fraude na eleição de 9 de agosto

Maria Kolesnikova, membro do Conselho de Coordenação criado pela oposição para facilitar as conversações com o líder de longa data sobre uma transição de poder, foi detida segunda-feira na capital, Minsk, junto com outros dois membros do conselho.

(AP Photo/Dmitri Lovetsky)

Eles foram levados na manhã de terça-feira à fronteira, onde as autoridades lhes disseram para cruzar para a Ucrânia. Kolesnikova recusou e permaneceu no lado bielorrusso da fronteira sob custódia das autoridades bielorrussas.

Dois outros membros do conselho, Ivan Kravtsov e Anton Rodnenkov, entraram na Ucrânia.

ANÚNCIO

Ativistas da oposição disseram que Kolesnikova rasgou seu passaporte para evitar ser forçada a se mudar para a Ucrânia.

Leia também: Mulheres formam ‘cadeias de solidariedade’ na Bielorrússia para protestar contra resultado eleitoral contestado

Anton Bychkovsky, porta-voz do Comitê da Guarda de Fronteira da Bielo-Rússia, confirmou que ela está sob custódia das autoridades bielorrussas, mas se recusou a dar detalhes sobre o que aconteceu na fronteira.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

ANÚNCIO