A evidência está disponível: as líderes femininas realmente estão lidando com a pandemia melhor

ANÚNCIO

Nos últimos meses, tem havido muita discussão sobre liderança durante a pandemia. O que constitui uma boa liderança? Quem teve melhor desempenho e quais países foram piores?

Um padrão que surgiu logo no início foi que as líderes femininas parecem ter lidado com a crise muito bem.

ANÚNCIO

Leia também: Coronavírus: a vacina da Rússia induz uma resposta imune e é segura, os primeiros resultados de testes sugerem.

Quer tenha sido a Nova Zelândia sob Jacinda Ardern ou Taiwan sob a presidência de Tsai Ing-Wen ou a Alemanha sob Angela Merkel, os países liderados por mulheres têm sido apontados como exemplos de como controlar uma pandemia.

Países liderados por mulheres tem melhores resultados na pandemia
Foto: (Reprodução/ Internet).

Decidimos investigar se essa percepção anedótica resiste a um escrutínio mais sistemático.

Para fazer isso, analisamos como os líderes em todo o mundo reagiram aos primeiros dias da pandemia para ver se as diferenças de desempenho podem ser explicadas por diferenças nas medidas políticas adotadas por líderes masculinos e femininos.

ANÚNCIO

Fique por dentro: Autoridades de saúde preocupam que nação não esteja pronta para a vacina COVID-19

Duas qualificações precisam ser mantidas em mente: primeiro, estamos apenas no início da pandemia e muita coisa pode mudar nos próximos meses. Em segundo lugar, a qualidade dos dados atualmente disponíveis é limitada.

Testes inadequados significam que o número de casos provavelmente está subestimado. A forma como as mortes são registradas também varia entre os países.

Apenas 10% em nossa amostra de 194 países têm mulheres como líderes nacionais

Mulheres à frente dos países mais eficazes contra a pandemia - ClimaInfo
Foto: (Reprodução/ Internet).

Existem muito menos países liderados por mulheres no mundo quando comparados aos liderados por homens. Dado o pequeno número de países liderados por mulheres, a maneira mais apropriada de considerar seu desempenho é compará-los com países “semelhantes” liderados por homens.

Fizemos isso comparando países com perfis semelhantes para as características sociodemográficas e econômicas que foram consideradas importantes na transmissão do COVID-19.

Fique por dentro: Notícias do Coronavirus: Cientistas afirmam ter encontrado o primeiro paciente reinfectado com Covid-19

No primeiro caso, comparamos países com PIB per capita, população, densidade populacional e população com mais de 65 anos semelhantes.

Em seguida, estendemos nossas variáveis ​​de correspondência para incluir três outras características: gasto anual com saúde per capita, número de turistas que entram no país e igualdade de gênero.

Nova Zelândia ordena confinamento de asilos de idosos | Mundo | G1
Foto: (Reprodução/ Internet).

Essas comparações revelaram diferenças claras entre países liderados por mulheres e países similares liderados por homens durante o primeiro trimestre da pandemia (até meados de maio).

Hong Kong, que é liderada por uma mulher, registrou 1.056 casos e quatro mortes, enquanto Cingapura, que tem uma economia semelhante e características demográficas comparáveis, mas é liderada por um homem, registrou 28.794 casos e 22 mortes no mesmo período.

Da mesma forma, a Noruega, liderada por uma mulher, teve 8.257 casos e 233 mortes, enquanto a Irlanda, liderada por um homem, registrou 24.200 casos e 1.547 mortes. Taiwan registrou 440 casos e sete mortes, enquanto a Coreia do Sul teve 11.078 casos e 263 mortes.

Merkel laughs off suggestion that she was charmed by Trump – POLITICO
Foto: (Reprodução/ Internet).

Os países liderados por mulheres tiveram um desempenho melhor, especialmente em termos de mortes, e isso é verdade se considerarmos a nação comparável mais próxima, as duas, três ou mesmo cinco mais próximas.

Veja também: Coronavírus: O que está acontecendo com as admissões nas universidades do exterior?

A Bélgica é uma exceção, tendo parecido ter um desempenho ruim em casos e mortes sob a liderança de uma mulher. Mas, apesar de sua inclusão, os resultados gerais relativos aos países liderados por mulheres permanecem.

Correr riscos

main article image
NZ PM Jacinda Ardern visita centro de ciência mapeando genomas virais, 20 de agosto de 2020. (Pool / Getty Images News)

Analisando o que pode causar esse desempenho diferencial, descobrimos que os países liderados por mulheres travaram significativamente mais cedo do que os países liderados por homens.

Países liderados por mulheres, como Nova Zelândia e Alemanha, fecharam as portas com muito mais rapidez e decisão do que países liderados por homens, como o Reino Unido. Em média, eles tiveram 22 mortes a menos no confinamento quando comparados aos seus homólogos masculinos.

Fique por dentro: Coronavírus: Mulheres líderes agiram mais rápida e decisivamente para salvar vidas, segundo estudo

Consideramos se esses resultados podem implicar que as mulheres líderes são mais avessas ao risco. A literatura sobre atitudes em relação ao risco e incerteza sugere que as mulheres – mesmo aquelas em funções de liderança – parecem ser mais avessas ao risco do que os homens.

Na verdade, na crise atual, vários incidentes de comportamento de risco por parte de líderes homens foram relatados.

Jair Bolsonaro vem a Belém nesta semana
Foto: (Reprodução/ Internet).

O brasileiro Jair Bolsonaro classificou o COVID-19 como “um pouco de gripe ou resfriado” e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que “apertou a mão de todo mundo” em uma visita ao hospital. Ambos os homens contraíram o vírus posteriormente.

Estilo de liderança

Outra explicação das diferenças de gênero em resposta à pandemia pode ser encontrada nos estilos de liderança de homens e mulheres.

Leia também: Trump ataca Biden e desafia a pandemia no palco da Casa Branca

Estudos sugerem que os homens tendem a liderar em um estilo “orientado para a tarefa” e as mulheres de uma maneira “orientada para o relacionamento interpessoal”. As mulheres, portanto, tendem a adotar um estilo mais democrático e participativo e tendem a ter melhores habilidades de comunicação.

Isso ficou em evidência durante esta crise nos estilos de comunicação decisivos e claros adotados por várias líderes femininas, seja a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, falando diretamente com as crianças, ou Ardern checando com seus cidadãos através do Facebook.

Governos liderados por mulheres viram exemplo no combate ao Covid-19 – ACIB Barueri
Foto: (Reprodução/ Internet).

Nossos resultados mostram que os resultados do COVID nos estágios iniciais da pandemia foram sistemática e significativamente melhores em países liderados por mulheres. Isso, em certa medida, pode ser explicado pelas respostas políticas proativas que adotaram.

Fique por dentro: Autoridades de saúde preocupam que nação não esteja pronta para a vacina COVID-19

Mesmo levando em consideração o contexto institucional e outros controles, ser liderada por mulheres proporcionou aos países uma vantagem na crise atual.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

A conversa

ANÚNCIO