Show de carnaval de Londres continua com mais importância do que nunca

ANÚNCIO

Os organizadores da maior feira de rua da Europa, cujas raízes remontam à emancipação de escravos negros e distúrbios raciais em Londres no final dos anos 1950, afirmam que o evento é mais importante do que nunca em meio à campanha mundial por justiça após a morte de George Floyd sob custódia policial em Minneapolis.

Leia também: Michael Che compara seu ‘Black Lives Matter’ com ‘Amazing Grace’

Mas sua mensagem de resistência e reconciliação será transmitida online em todo o mundo neste fim de semana depois que a pandemia COVID-19 forçou o Carnaval de Notting Hill de Londres a se reinventar como um evento virtual.

ANÚNCIO

Mesmo que não seja o mesmo, o carnaval deve ser celebrado como um marco da libertação negra, disse Clary Salandy, diretora artística da Mahogany Carnival Arts, que cria fantasias de cores vivas que são essencialmente esculturas vestíveis – cerca de 5 metros de altura – para dançarinos de carnaval.

(AP Photo / Kirsty Wigglesworth)

O Carnaval de Notting Hill é um produto do influxo maciço de imigrantes negros que vieram para a Grã-Bretanha de suas ex-colônias para ajudar a reconstruir o país após a Segunda Guerra Mundial.

A onda de imigração criou tensões na sociedade britânica, com discriminação generalizada em habitação e emprego que se transformou em tumultos em 1958.

ANÚNCIO

Leia também: Black Lives Matter: Estátua de manifestante negra substitui a de comerciante de escravos derrubada do Reino Unido

No ano seguinte, a ativista negra Claudia Jones organizou um precursor do carnaval, um baile na prefeitura de St. Pancras que levantou dinheiro para a defesa dos presos na turbulência.

Em 1966, o Carnaval ganhou as ruas de Notting Hill, um dos poucos lugares em Londres onde os proprietários alugavam para negros.

(AP Photo / Kirsty Wigglesworth)

Este ano, os elementos do evento serão pré-gravados e transmitidos para o mundo de 29 a 31 de agosto, o fim de semana prolongado que tradicionalmente encerra a temporada de férias de verão na Grã-Bretanha.

Leia também: Kenosha protesta pacificamente após uma noite de caos e tiroteios

O Diretor Executivo Matthew Phillip disse que o formato online oferece uma oportunidade para alcançar mais pessoas.

Os temas deste ano incluem o movimento Black Lives Matter e uma celebração do Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha, que está trabalhando para controlar a pandemia que atingiu a comunidade negra com mais força do que outras.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

ANÚNCIO