Hamilton expressa sua revolta nas redes sociais em apoio as manifestações

ANÚNCIO

Floyd, um negro desarmado, morreu em 25 de maio, depois que um policial branco, acusado de assassinato, ajoelhou-se no pescoço por vários minutos.

“A semana passada foi tão sombria. Não consegui segurar minhas emoções”, disse Hamilton, 35 anos.

ANÚNCIO

“Senti tanta raiva, tristeza e descrença.”

No domingo, Hamilton, o primeiro piloto negro da Fórmula 1, atacou outras figuras importantes da F1 por não se manifestarem, dizendo: “Eu vejo aqueles que ficam calados, alguns de vocês são as maiores estrelas, mas ficam calados no meio da injustiça”. . “

Na terça-feira, Hamilton divulgou outra declaração, dizendo que estava “completamente tomado de raiva ao ver esse flagrante desrespeito pela vida de outras pessoas”.

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

Ele acrescentou: “A injustiça que estamos vendo nossos irmãos e irmãs enfrentarem em todo o mundo repetidamente é nojenta e deve parar”.

Ele disse que, embora “muitas pessoas pareçam surpresas”, a situação “não nos surpreende”.

“Aqueles de nós que são negros, pardos ou pardos, o vêem todos os dias e não devem ter a sensação de que nascemos culpados, não pertencemos ou tememos por nossas vidas com base na cor de nossa pele”, disse Hamilton.

“Somente quando há tumultos e gritos por justiça é que os poderes que estão desmoronando e fazem alguma coisa, mas a essa altura já é tarde demais e pouco foi feito.”

Hamilton também se referiu ao atraso antes de Derek Chauvin, o policial que se ajoelhou no pescoço de Floyd, ser preso.

Foto: (reprodução/internet)

“Foram necessárias centenas de milhares de queixas e prédios para queimas antes das autoridades reagirem e decidiram prender Derek Chauvin por assassinato – e isso é triste”, disse ele.

“Infelizmente, a América não é o único lugar onde o racismo vive e continuamos a falhar como seres humanos quando não podemos defender o que é certo.

“Por favor, não sente em silêncio, não importa a cor da sua pele. Black Lives Matter.

Logo após Hamilton publicar seu cargo, a F1 fez sua primeira declaração sobre o assunto.

“Estamos com você e com todas as pessoas na luta contra o racismo”, afirmou.

“É um mal do qual nenhum esporte ou sociedade é verdadeiramente imune. E é somente juntos que podemos nos opor a uma erradicação.

“Juntos somos mais fortes.”

 

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: BBC.

ANÚNCIO