Estudos mostram que bebês podem consumir um milhão de partículas de microplástico a cada dia das garrafas

ANÚNCIO

Os microplásticos agora podem ser encontrados em quase todos os ambientes da Terra, mas os cientistas sabem surpreendentemente pouco sobre como os produtos que usamos todos os dias eliminam essas minúsculas partículas de plástico.

Se você bebe de uma garrafa de plástico de água ou come em um recipiente para microondas hoje, há uma boa chance de que esteja usando polipropileno.

ANÚNCIO

O polipropileno é considerado seguro e adequado para muitas aplicações diferentes – por isso é o plástico mais usado na preparação de alimentos.

imagem do artigo principal
(Nathan Dumlao / Unsplash).

Outro lugar onde você esperaria encontrar polipropileno é em mamadeiras. Geralmente presumimos que as garrafas feitas desse plástico são rígidas e estáveis ​​quando esterilizadas com água quente e agitadas durante a preparação da fórmula.

Mas em uma nova pesquisa, mostramos que a preparação de fórmulas infantis com mamadeiras de polipropileno expõe bebês em todo o mundo a uma média de 1 milhão de partículas microplásticas por dia.

ANÚNCIO

Leia também: Uma alternativa sustentável: pacotes de molho “plástico” totalmente comestíveis com algas marinhas

Este é um aumento espantosamente grande em relação às estimativas anteriores. Estudos anteriores sugeriram que adultos e crianças nos Estados Unidos foram expostos a entre 74.000 e 211.000 partículas ao longo de um ano inteiro, por meio dos alimentos que comem, da água que bebem e do ar que respiram.

Para descobrir mais sobre, foram feito estudos para compreender melhor a situação. 

Mamadeira, sim ou não? - Consequências do uso da mamadeira para o bebê - Pediatria Descomplicada
Foto: (Reprodução/ Internet).

Por meio de uma pesquisa com mamadeiras em 48 regiões e cobrindo 78% da população mundial, descobrimos que as mamadeiras de polipropileno representam 83% do mercado global.

Decidimos testar essas mamadeiras escolhendo dez mamadeiras de polipropileno e seguindo as diretrizes da Organização Mundial de Saúde de 2007 para preparar mamadeiras em casa.

Testamos quantos microplásticos foram liberados enquanto seguíamos essas etapas, incluindo limpeza, esterilização e mistura de líquidos em cada uma das dez garrafas, e descobrimos que eles liberaram até 16 milhões de partículas por litro de água a 70 ° C.

Como escolher a melhor mamadeira para seu bebê | Mães e Filhos | gnt
Foto: (Reprodução/ Internet).

A maioria desses microplásticos era menor do que 20 micrômetros e era semelhante a flocos com uma superfície áspera e uma espessura média de um décimo de sua largura.

Quando a temperatura da água foi elevada dos 70 ° C recomendados para 95 ° C – a temperatura da água recentemente fervida – a liberação de microplásticos aumentou de seis milhões de partículas por litro para 55 milhões.

Leia também: Uma alternativa sustentável: pacotes de molho “plástico” totalmente comestíveis com algas marinhas

O processo de esterilização sozinho – no qual a garrafa é desmontada e colocada em uma panela cheia de água a 95 ° C – aumentou a liberação de microplásticos em pelo menos 35%.

Como reduzir a exposição

Dada a disseminação do uso de frascos de polipropileno e a grande quantidade de microplásticos liberados em nosso experimento, decidimos dar um passo adiante em nossa pesquisa.

GettyImages 78750976
Frascos sendo esterilizados. (Fuse / Getty Images)

A partir disso, concluímos que os bebês tendem a consumir uma média de 1,6 milhão de partículas microplásticas de polipropileno por dia.

  1. Enxágue os biberões esterilizados com água fria e esterilizada.
  2. Sempre prepare a fórmula em um recipiente não plástico.
  3. Depois que a fórmula esfriar até a temperatura ambiente, transfira-a para o biberão esterilizado e resfriado.
  4. Evite reaquecer fórmulas preparadas em recipientes de plástico, especialmente com forno de micro-ondas.
Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO