OMC alerta para uma nova “crise de 29” causada pela pandemia de coronavírus

Chefe da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo, prevê cenário com queda de até 32% no comécio na pior das hipóteses, indice comparável ao da "grande drepressão" dos anos 30.

O comércio internacional secou como resultado da pandemia de Covid-19 e pode estar a caminho de um colapso tão grave quanto o da Grande Depressão dos anos 30, informou a Organização Mundial do Comércio (OMC).

Unemployed New Yorkers queue for bread and handouts during the 1930s Great Depression.Comércio em queda

A OMC, com sede em Genebra, responsável pelo policiamento do sistema comercial global, disse que mesmo o cenário mais otimista para 2020 é que o comércio encolherá 13%, uma queda maior do que na recessão de 2008-09 causada pela crise bancária.

havia o risco de um resultado muito mais sombrio, segundo o qual o comércio diminuiria em 32%, comparável à redução observada entre 1929 e 1932.

O colapso do comércio global durante a década de 1930 foi em parte devido às medidas protecionistas impostas pelos países desenvolvidos, e o chefe da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo, alertou que colocar barreiras em resposta ao Covid-19 pioraria a situação.

“Esses números são feios – não há como contornar isso. Mas uma recuperação rápida e vigorosa é possível, disse Azevêdo, apontando também a importância das decisões tomadas a curto prazo.

ANÚNCIO

Embora não mencione nenhum país pelo nome, o diretor geral da OMC deixou claro que o fim da tensão comercial entre os EUA e a China ajudaria a minimizar as consequências da pandemia.

Azevedo afirmou ainda que o comércio é fundamental para “uma recuperação forte, sustentada e socialmente inclusiva”, bem como as políticas fiscais e monetárias tomadas.

Para ele, o trabalho conjunto de todos os países será muito mais eficaz no combate aos efeitos da crise do que ações isoladas, recomendando “manter os mercados abertos e previsíveis”.

A OMC disse que o comércio já estava desacelerando antes do surto de Covid-19. Na sua perspectiva, a OMC disse que esperava uma recuperação do comércio no próximo ano, mas que era difícil dizer o quão vigoroso o retorno seria.

Consequências da crise

O resultado depende amplamente da duração do surto e da eficácia das respostas políticas.

“Esta crise é antes de tudo uma crise de saúde, que forçou os governos a tomar medidas sem precedentes para proteger a vida das pessoas”, disse Azevêdo.

Além dos riscos e sofrimento humano causados pela pandemia, o chefe da OMC alertou também para as graves consequências para as empresas e negócios, bem como para as economias nacionais.

“O objetivo imediato é controlar a pandemia e mitigar os danos econômicos a pessoas, empresas e países. Mas os formuladores de políticas devem começar a se planejar para as consequências”, Asegurou Azevêdo.

Traduzido e adaptado pela equipe SM

Fonte: The Guardian. Organização Mundial do comércio

 

ANÚNCIO