É de cair o queixo: essas são as pinturas mais caras do mundo

ANÚNCIO

[nextpage]

Foto: (reprodução/internet) 

A arte é uma das formas de expressão humana que mais evoluem (com base na história), desde as pinturas nas cavernas no período pré-histórico até as grandes obras de Picasso. É fato que o homem precisa se comunicar de diferentes maneiras, e a arte é um dos meios encontrados para tal. Sabendo disso, alguns pintores mundialmente conhecidos possuem também, as obras de arte mais caras do mundo.

Entre alguns dos famosos nomes estão Vincent Van Gogh, Paul Cézanne, Pablo Picasso, Andy Warhol, Edvard Munch e muitos outros. Uma das coisas que alguns destes pintores possuem em comum é justamente terem ganhado muita fama após a morte. Seja adquirido por museus e colecionadores particulares, as obras de arte são incríveis e valem uma fortuna. Clique em Próximo e conheça as pinturas mais caras do mundo.

[/nextpage][nextpage]

Retrato de Dr. Gachet: US$ 152 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

O holândes Vincent van Gogh foi (e ainda é) um dos mais conhecidos personagem da arte mundial. Além disso, ele também tem o título de uma das figuras mais influentes da história. O quadro “Retrato de Dr. Gachet” foi feito por Vincent quando este foi encaminhado ao asilo pela segunda vez em sua vida. Porém ele não sabia que ela viria a ser uma das pinturas mais caras do mundo.

O quadro vale cerca de US$ 148,3 milhões e mostra o responsável por cuidar de Van Gogh no asilo, o Dr. Paul Gachet. Nos dias atuais, esta é uma das obras mais conhecidas do pintor (e também uma das mais caras). O colecionador Ryoei Saito comprou a obra nos anos 90, por um preço muito acima da quantia de mercado.

[/nextpage][nextpage]

Woman III: US$ 162,4 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Um dos quadros mais conhecidos do pintor neerlandês chamado Willem de Kooning é sem dúvida, “Woman III”. A obra foi pintada entre 1951 e 1953, e é apenas um dos quadros que apresentam a mesma personagem feminina. Representante do Expressionismo, a obra chamou ficou mundo conhecida no mundo e chamou a atenção do colecionador Steven A. Cohen.

Este colecionador (um dos mais ricos do mundo), comprou o quadro no ano de 2006, por cerca de 154,5 milhões de dólares. O quadro pintado com tinta à óleo foi negociado em segredo com David Geffen, pelo Museu de Arte Contemporânea de Teerã.

[/nextpage][nextpage]

Três estudos de Lucian Freud: US$ 142 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

A pintura a óleo do conhecido Francis Bacon retrata o pintor Lucian Freud (um importante personagem na obra de Bacon, e também é neto de Sigmund Freud ). Considerada uma das maiores pinturas do britânico do movimento surrealista, “Três estudos de Lucian Freud” foi arrematada em 2013 na Christie’s (Nova York), por cerca de 142 milhões de dólares.

A obra “tríptica” (três partes), foi feita no ano de 1969 e é uma das 50 obras mais famosas do mundo. As telas de mesmo tamanho foram emolduradas individualmente e o detalhe curioso é que as três obras foram trabalhadas ao mesmo tempo.

[/nextpage][nextpage]

Silver Car Crash (Double Disaster): US $ 105 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

A obra conhecida como “Silver Car Crash (Double Disaster)” é um dos maiores nomes do movimento arte pop (arte visual). Feita pelo norte-americano Andy Warhol no ano de 1963, a obra é na realidade, uma serigrafia e foi vendida em leilão por cerca de US $ 105 milhões. O quadro em petro e branco mostra um corpo mutilado no interior de um quadro prateado.

Além disso, esta é a última obra do pintor que ficou em uma coleção privada (até hoje o nome do comprador não foi revelado). Fazendo parte da série “Morte e Desastre” de Andy, o quadro foi impresso quando o artista tinha 35 anos de idade e tem cerca de 2,4 por 4,0 m de dimensões.

[/nextpage][nextpage]

Salvator Mundi: US $ 450,3 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

A pintura de Leonardo da Vinci (um dos mais influentes do Alto Renascimento) é uma das mais caras do mundo. Feita por volta do ano de 1500, o quadro “Salvator Mundi (Salvador do Mundo)” retrata Jesus Cristo e há indícios de que ele foi encomendado para o rei Luís XII da França e sua mulher Ana, a duquesa da Bretanha. Entre as histórias dessa obra, estão envolvidas perda, restauração e perda de novo.

Após ela ter sido dada como perdida, reapareceu no ano de 1900 (quando foi comprada por um colecionador francês). Após um tempo, ela foi perdida, restaurada e exibida no ano de 2011. O quadro mostra Cristo no estilo renascentista e foi vendida em 2017 por cerca de 450,3 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Os retratos de Marten Soolmans e Oopjen Coppit: US $ 180 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

O par de retratos de Rembrandt é um dos mais conhecidos do pintor. Retratando o casamento de Marten Soolmans e Oopjen Coppit no ano de 1634, a obra antigamente pertencia à família Rothschild, em seguida passou a se encontrar no Museu do Louvre e ao Rijksmuseum em 2015 (os dois locais dividiram o valor das obras).

Uma curiosidade é que os dois tenham sido pintados individualmente, elas devem ficar juntas desde sempre (e desde então não ficaram separados). Um dos mais conhecidos retratos do séc. 17 já foram expostos em Paris, Amsterdã e muitos outros locais. A obra foi vendida por cerca de 180 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Retrato de Adele Bloch-Bauer:US$ 158,4 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Feito por Gustav Klimt no ano de 1907, a obra “Retrato de Adele Bloch-Bauer” é um dos primeiros quadros de Bloch-Bauer (e um dos mais conhecidos do artista). Em sua época de ouro, Gustav pintou a obra que foi considerada seu trabalho final. Klimt ficou conhecido como um pintor simbolista que conseguiu entrar no ranking de uma das pinturas mais caras da história, muitos anos depois de sua morte.

No ano de 2006, o colecionador Ronald Lauder comprou a obra por 135 milhões de dólares e guardou o quadro em outro lugar além de sua casa: Ronald o colocou na Neue Galerie, em Nova York.

[/nextpage][nextpage]

Retrato de Adele Bloch-Bauer II: US $ 88 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Também pintada por Gustav Klimt, a obra retrata a modelo Adele Bloch-Bauer (a única que aparece duas vezes nos quadros do artista). Feita em 1912, a pintura a óleo sobre tela faz parte do movimento simbolista, ficou a família de Adele até serem confiscados pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial.

Uma das histórias envolvendo o quadro é que o museu austríaco (que estava com os quadros pós guerra), não queria devolver aos seus donos e após uma batalha legal, a sobrinha do marido de Adele conseguiu trazê-los de volta à família. Em 2006, o quadro foi leiloado por cerca de 88 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Quando Você Casa? : US $ 300 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

A pintura a óleo de Paul Gauguin foi feita em 1892 e retrata mulheres nativas do Taiti. Na época, o pintor gostaria de retratar a arte de forma primitiva e crua, e não as obras falsas feitas por outros pintores franceses. O quadro do pós impressionista Paul foi emprestada

Kunstmuseum (Museu de Belas Artes da Suíça) por quase meio século. Após isso, foi vendida no ano de 2015 por cerca de 300 milhões de dólares, pela família de Rudolf Staechelin ao Al-Mayassa bint Hamad bin Khalifa Al-Thani. Feito isso, a obra ganhou título de um dos maiores valores já pagos por uma pintura.

[/nextpage][nextpage]

No. 5, 1948: US $ 165,4 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Uma das pinturas mais conhecidas foi feita Pollock, chamado “No. 5” 1948” a obra também apresenta diferentes proporções. O pintor norte-americano contribuiu muito para o movimento expressionista abstrato. Uma das curiosidades envolvendo a obra é que ela foi pintada sobre uma placa de fibra. No ano de 2006, David Geffen organizou uma venda do quadro porém o comprador não se identificou e então David ficou com a obra.

Na época, o quadro valia cerca de 165,8 milhões de dólares. O que muitos não sabem é que o pintor já tinha tentando vender a obra anos antes, porém a empresa de transporte estragou o quadro.

[/nextpage][nextpage]

O Grito, de Edvard Munch: US $ 121,1 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

Sem dúvidas “O Grito” é um dos maiores nomes da arte moderna. Pintado por Edvard Munch no ano de 1893, o quadro já foi alvo de muitos roubos quando estava sendo exposto no Museu de Arte Moderna de Nova York, o MOMA. A obra ícone do movimento expressionista faz parte de uma série de pinturas semelhantes feita pelo artista norueguês.

No ano de 2012, o colecionador e empresário Leon Black comprou a obra por cerca de 121,1 milhões de dólares. Além da incrível obra de Munch, Leon possui também quadros de Vincent van Gogh, Raphael, Pablo Picasso e J.M.W. Turner (aquarelas).

[/nextpage][nextpage]

O baile no moulin de La Galette (Le bal du moulin de la galette): US $ 130,3 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

A obra “Le bal du moulin de la galette” ficou conhecida por mostrar o cotidiano parisiense no século 19. Feita pelo pintor Pierre-Auguste Renoir no ano de 1876, a obra se tornou um dos maiores títulos do impressionista francês. Nos anos 90, o quadro foi vendido no valor de 130,3 milhões de dólares, para o japonês Ryoei Saito.

Nos dias de hoje, a obra ainda é apontada como uma das que mais representa o período do impressionismo. O que muitos não sabem é que o quadro possui duas versões: uma se encontra no Musée d’Orsay (Paris) e a outra foi negociada por Saito.

[/nextpage][nextpage]

Nurse: US $ 95,37 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

A pintura foi feita no ano de 1964 pelo pintor Roy Lichtenstein, como é percebido pelos traços e cores da obra, Roy também fazia parte do movimento arte pop assim como Andy Warhol. “Nurse”está na lista de um dos quadros mais caros do mundo e foi comprado no ano de 2015, num valor de 95.37 milhões de dólares.

Na época o preço foi recorde para um pintor norte-americano de arte pop. O que muitos não sabem é que ele já tinha sido vendido por cerca de um milhão de dólares, isso ainda nos anos 90. Segundo muitos, “Nurse” é retratada como uma heroína por Lichtenstein.

[/nextpage][nextpage]

Número 17A: US $ 200 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Mais uma obra de Jackson Pollock para a lista de pinturas mais caras da história. Feita em 1948, “Número 17A” foi feito durante o “período de goteira”, onde o artista realizou algumas de suas mais icônicas pinturas (e caras obras de arte). A obra foi comprada no ano de 2016, no valor de 200 milhões de dólares (vendido por David Geffen para Kenneth C. Griffin).

O expressionista abstrato era mundialmente conhecido por derramar ou até mesmo salpicar tinta líquida em uma superfície horizontal (a conhecida técnica de gotejamento). Segundo Pollock, essa técnica lhe oferecia liberdade para ver e pintar sua obra de todas as formas e ângulos possíveis.

[/nextpage][nextpage]

Nu, Folhas Verdes e Busto (Nu au Plateau de Sculpteur): US $ 106,5 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Um dos quadros mais famosos e caros do mundo é sem dúvidas, “Nu au Plateau de Sculpteur”, também do famoso espanhol Pablo Picasso. Pintado no ano de 1932, o quadro também está na lista de um dos títulos mais valiosos da história da arte. O quadro de óleo sobre tela faz parte da série de pinturas chamada Marie-Thérèse Walter.

O preço da venda da obra se concentra em 106,5 milhões de dólares e foi vendido no ano de 2010, o comprador não teve seu nome identificado até os dias de hoje. Além do preço, as dimensões do quadro também chamam a atenção: a obra mede cerca de 162 cm × 130 cm.

[/nextpage][nextpage]

No.6 (Violeta, Verde e Vermelho): US $ 140 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

A obra do russo-americano Mark Rothko é uma das mais conhecidas do mundo (e também uma das mais caras). Feita em 1951 pelo artista do Expressionismo abstrato, a obra se baseia em grande extensões de cores delineadas e sombras irregulares (mostrando a estrutura do trabalho do pintor) Apenas no ano de 2014 a obra se tornou uma das mais caras já vendidas em leilão.

A obra foi comprada por cerca de 140 milhões de dólares por Dmitry Rybolovlev em 2014 e ficou conhecida pela “rejeição” do pintor. Isso porque depois da Segunda Guerra Mundial, muitos artistas se sentiram sozinhos e abandonados e Mark foi um deles – o sentimento de rejeição era muito comum na época.

[/nextpage][nextpage]

Le Rêve: US $ 158,5 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Conhecido como uma das maiores obras de Pablo Picasso, o quadro “Le Rêve” foi pintado quando o artista ainda tinha 50 anos de idade. Segundo especialistas, a obra retrata a jovem amante do pintor (que tinha 22 anos), chamada Marie-Thérèse.

Pintado em 1932, o quadro de Picasso vale cerca de 155 milhões de dólares e foi comprada pelo famoso Steven A. Cohen (colecionador já visto anteriormente nesta leitura), no ano de 2015. Conhecido em Wall Street, Steven estava querendo comprar a obra desde 2006 porém o antigo dono quebrou a obra acidentalmente e apenas anos depois conseguiu vender a Cohen.

[/nextpage][nextpage]

L’Homme au Doigt (o homem que aponta): US$ 141.28 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

Feita em 1947 pelo artista Alberto Giacometti, a escultura chamada L’Homme au Doigt (o homem que aponta) está entre uma das obras mais caras do planeta – apenas 9 esculturas estão nesse ranking. Feita em bronze, a escultura é a única pintada à mão por Alberto e foi vendida por cerca de 141 milhões de dólares, ainda no ano de 2015.

A escultura do suíço Giacometti tem cerca de 177,5 centímetros de altura, além de fazer parte de uma série composta por seis outras peças. Segundo muitos, ela é uma representação filosófica do existencialismo: um homem sem saber para que aponta.

[/nextpage][nextpage]

Juin-Octobre 1985: US $ 65 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Entre 1950 e 60, as pinturas de Zao Wou-Ki já haviam ganho destaque nos museus da Europa e das Américas, isso fez com que ele se tornasse um dos mestres asiáticos mais conhecidos do mundo. Em 1980, o pintor teria concluído sua maior peça (tanto em dimensão quanto de capacidade): “Juin-Octobre 1985”. A pintura tem cerca de 280 x 400 cm de dimensões em um lado e 280 x 300 cm em outro.

A pintura se baseia em três painéis (ou seja, é um tríptico) que tornaram Zao um mestre conhecido internacionalmente. O tamanho extraordinário da obra afetou também seu preço: ele foi vendido por cerca de 65 milhões de dólares num leilão na suíça.

[/nextpage][nextpage]

The Card Players: vale US$ 274 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Pintado no final de sua vida (nos anos 1890), a obra “The Card Players” faz parte da série de seis telas do francês Paul Cézanne. O artista do pós-impressionista teve seu quadro vendido por cerca de 274 milhões de dólares pela Família Real do Qatar (uma das mais ricas do mundo), no ano de 2011. Com isso, o quadro de Paul se tornou a segunda pintura mais cara do mundo comprada pela família árabe.

A versão está exposta em Paris, no Musée d’Orsay. A compra milionária tornou o quadro de Cézanne uma das obras de arte mais valiosas da história da pintura pertencentes a um acervo.

[/nextpage][nextpage]

Interchanged: US $ 300 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

O óleo sobre a tela do também pintor Willem de Kooning, está na lista de uma das pinturas mais caras do mundo. Como podemos perceber, Willem ocupa alguns lugares nessa leitura. Feita em 1955, a obra chamada “Interchanged” foi feita em lona e mede cerca de 200,7 por 175,3 centímetros.

A obra foi uma das primeiras abstratas feita por Willem e sem dúvida, marcou sua mudança de estilo de pintura. No ano de 2015, a obra foi vendida de David Geffen para Kenneth C. Griffin por um valor de 300 milhões de dólares. Uma das curiosidades é que ela chegou a ser emprestado ao Instituto de Arte de Chicago antes da venda.

[/nextpage][nextpage]

L’Homme qui marche (o homem que caminha): US $103,7 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

Assim como visto em algum tópicos anteriores, esta escultura é uma das mais conhecidas e mais caras do mundo. Também feita pelo artista Alberto Giacometti, a escultura em bronze foi concluída em 1961 e mostra um homem a caminhar. Com cerca de 183 centímetros de altura, a escultura atualmente é propriedade de um colecionar.

Considerada uma das importantes peças da arte moderna, L’Homme qui marche (o homem que caminha) foi vendida no ano de 2010 por um valor de 103,7 milhões de dólares. Na época, a escultura se tornou a obra mais cara já vendida em um leilão (no caso, a venda foi realizada na Sotheby’s.

[/nextpage][nextpage]

Garçon à la pipe (Rapaz com cachimbo):US $ 120,2 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Feito no ano de 1905 por Pablo Picasso, a obra ficou conhecida por ter sido produzida no chamado “período rosa” do espanhol. A obra “Garçon à la pipe” foi vendida em 2004, por valendo cerca de 120,2 milhões de dólares, em um leilão na Sotheby’s. O que muitos não sabem é que Picasso fez a obra quando tinha apenas 24 anos.

Uma das obras mais caras do mundo mostra o estilo inicial de pintura do artista. O nome do comprador do quadro permanece em segredo até os dias de hoje e muitos acreditam que o valor desembolsado por ele, não condiz com a obra de Picasso. Segundos os críticos de arte, o comprador gastou muito mais do que deveria em um quadro não muito conhecido do pintor.

[/nextpage][nextpage]

Femme Assise (Mulher Sentada): US $ 63,60 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Picasso é um dos grandes da arte e suas obras não poderiam ser diferentes: uma boa parte está na lista de mais caras do mundo. Um dos grandes precursores do cubismo pintou em 19090 o quadro “Femme Assise (Mulher Sentada)”. Essa foi a primeira obra do pintor com o estilo cubista – apresenta formas geométricas desconexas e tridimensionais.

A pintura se assemelhando a uma escultura por causa da complexidade, é possível perceber do que se trata a obra de todos os lados. Segundo especialistas, desde 1908 as obras de Picasso já possuíam essa qualidade escultural. A obra foi vendida por cerca de 63,60 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Femme assise: robe bleue vale US $ 45 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Feita em outubro de 1939 (Picasso já tinha quase 60 anos), a obra traz um retrata marcante da amante do pintor chamada de Dora Maar. A obra ganha destaque por mostrar o caráter único que caracterizam um dos maiores retratos de Picasso.

Em “Femme assise: robe bleue”, Maar é retratada com todas as qualidades mais estimulantes do trabalho de Picasso. Nela é possível ver cores marcantes, as feições distorcidas, os chapéus ornamentados e o estilo verdadeiro do pintor: o verdadeiro cubista. A obra foi vendida por cerca de 45 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Oito Elvises: US $ 100 milhões 

Foto: (reprodução/internet) 

Como já deve-se perceber pelo estilo, a pintura foi feita pelo icônico Andy Warhol. Feita no ano de 1963, a obra mostra o artista do pop Elvis Presley em oito imagens idênticas e sobrepostas do cantor. “Oito Elvises” apresenta imagens serigrafadas sobre um fundo prateado, o que muitos não sabem é que a obra era originalmente uma parte da peça de 11 m contendo dezesseis cópias de Elvis.

As imagens do cantor foram tiradas de uma fotografia do filme Flaming Star, uma das coisas que impressionam é o quanto o movimento arte pop foi marcado pelo pintor. A obra foi comprada no ano de 2008 por Annibale Berlingieri, num valor de aproximadamente 100 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Dora maar au chat: US $ 95,2 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

O famoso cubista também pintou “Dora maar au chat” e representou novamente, sua amante e musa inspiradora conhecida como Dora Maar. Ela foi tão importante para Pablo Picasso, que chegou até mesmo a ajudar o pintor a concluir “Guernica”. Pintado no início dos anos 40, o quadro mostra a relação de um dos poucos casais que conseguiam permanecer juntos: isso ainda em período de segunda guerra mundial.

Esta obra ficou muito conhecida entre os grupos de elite da época e também esteve no Instituto de Arte de Chicago no ano de 1947. Em 2006, a obra foi leiloada por um valor de 95,2 milhões de dólare, ficando conhecida como uma das obras mais caras do mundo da arte.

[/nextpage][nextpage]

Tela sem título: US $ 110 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

Apesar de poucos conhecerem Jean-Michel, ele foi um dos artistas mais influentes da época. Desde pequeno, ele desenhava com certa frequência e tinha um hobby pouco comum entre as crianças: ele gostava de frequentar o MOMA (Museu de Arte Moderna). Desde então, se aperfeiçoou na pintura de corpos humanos e no ano de 1982, concluiu uma das obras mais caras do mundo.

Conhecido como “Tela sem título”, a obra mostra o estilo do artista: desde sempre, seus principais objetos de pintura eram crânios, humanos, poder e outros temas. Em 2017, um empresário adquiriu o quadro por cerca de 110 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Bandeira: US $ 119, 40 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

O pintor norte-americano Jasper Johns foi o responsável por pintar a icônica obra chamada “Bandeira”, no ano de 1954. Diferente de muitos artistas aqui retratados, Jasper continua vivo e ainda segue o estilo arte pop. Acredita-se também, que ele tenha sido um dos mais importantes nomes do movimento nos EUA.

No início de sua carreira, ele começou a pintar objetos vulgares como mapas, algoritmos e também bandeiras. Não é coincidência que uma de suas principais obras também seja uma das mais caras do mundo. Dois anos após servir na Guerra da Coreia, o pintor sonhava em pintar com quadro com a bandeira norte-americana. Sua obra foi vendida por cerca de 119, 40 milhões de dólares.

[/nextpage][nextpage]

Les Femmes d’Alger (Mulheres de Argel): US $ 212.50 milhões

Foto: (reprodução/internet) 

O pintor espanhol Pablo Picasso também possui esta série de pinturas na lista das mais caras do mundo. “Les Femmes d’Alger (Mulheres de Argel)” foi criada entre 1954 e 1955, segundo o pintor a inspiração veio da pintura “Mulheres de Argel em seu apartamento (Femmes d’Alger dans leur appartement), de Eugène Delacroix.

A série de pinturas foi feita em homenagem aos vários outros artistas que o pintor admirava – toda a série foi comprada em 2016 por Victor e Sally Ganz, por um valor de 212.50 milhões de dólares. Cerca de dez pinturas da série de Picasso foram vendidas aos Ganzs pela Galeria Saidenberg.

[/nextpage][nextpage]

ANÚNCIO