Cientistas acreditam que finalmente descobriram a matéria escura

ANÚNCIO

Quando os astrônomos olham para o espaço, eles podem ver muitas coisas diferentes. Galáxias, estrelas e até buracos negros podem ser vistos em nosso lugar aqui na Terra.

No entanto, um dos tipos mais abundantes de matéria do universo não pode realmente ser visto, ou pelo menos ainda temos que inventar os meios para fazê-lo.

ANÚNCIO

A matéria escura pode ser responsável por mais de três quartos de toda a matéria do universo, mas não pode ser observada diretamente. Em vez disso, os cientistas precisam inferir sua existência com base em como outros objetos no cosmos reagem à sua gravidade. Mas o que é isso e seremos capazes de explicar suas origens? Um novo estudo de pesquisadores da Universidade de York tenta fazer exatamente isso, oferecendo uma possível explicação para o que realmente é a matéria escura.

Os pesquisadores dizem que o segredo da matéria escura pode estar em um tipo de partícula chamada hexaquark da estrela-d. Como observa o SciTechDaily, é uma partícula composta de seis quarks, que são os pequenos pedaços que compõem prótons e nêutrons, mas, devido ao seu arranjo em uma estrela-d, eles são mais versáteis.

Os cientistas dizem que, na sequência do Big Bang, os hexaquarques em estrela-d podem ter sido abundantes, coalescentes e amontoados. Essa enorme quantidade de material pode eventualmente se tornar um quinto estado da matéria, conhecido como condensado de Bose-Einstein, enquanto ele resfria. Essas nuvens ultra-frias de partículas do bóson podem ser as candidatas à matéria escura mais viáveis ​​até agora.

ANÚNCIO

“A origem da matéria escura no universo é uma das maiores questões da ciência e que, até agora, deixou um espaço em branco”, explica o professor Daniel Watts, da Universidade de York. “Cálculos iniciais indicam que os condensados ​​das estrelas -d é uma nova possibilidade à matéria escura. Esse novo resultado é particularmente interessante, pois não demanda novos conceitos físicos. ”

No futuro, pesquisas adicionais sobre como as estrelas-d se comportam podem oferecer pistas adicionais e ajudar a apoiar as afirmações dos pesquisadores ou descartá-las.

Fonte: NY Post.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais.

ANÚNCIO