Um medicamento comum para diabetes tipo 2 pode estar retardando o início do Parkinson

ANÚNCIO

A medicação usada para tratar o diabetes pode reduzir o risco de desenvolver a doença de Parkinson, de acordo com uma nova pesquisa, abrindo uma gama de opções potenciais para o tratamento e gerenciamento do distúrbio cerebral degenerativo.

Foram observados os registros de pacientes de 100.288 indivíduos com diabetes tipo 2.

ANÚNCIO

Os cientistas descobriram que, embora esses indivíduos apresentassem um risco maior do que o normal de desenvolver o mal de Parkinson, os medicamentos para diabetes comumente prescritos também pareciam reduzir esse risco.

Um medicamento comum para diabetes tipo 2 pode estar retardando o início do Parkinson
Foto: (Reprodução/ Internet)

Aqueles que estavam tomando dois tipos específicos de medicamentos para diabetes – agonistas do receptor de GLP-1  e inibidores de DPP4  – tinham menos probabilidade de serem diagnosticados com Parkinson.

No caso dos agonistas do receptor GLP-1, a probabilidade caiu 60%.

ANÚNCIO

Saiba mais: Policia polonesa pede o fim dos protestos em massa enquanto a pandemia se intensifica

A pesquisa segue um estudo de 2018 que cobriu cerca de 2 milhões de indivíduos com diabetes tipo 2, mostrando que, embora as chances de desenvolver Parkinson permanecessem baixas, ter diabetes aumentou essa chance em cerca de um terço.

Parkinson's Disease Treatment Drug Reports Deaths Spark - RelionGroup
Foto: (Reprodução/ Internet)

Os cientistas estão particularmente interessados ​​em explorar o potencial do medicamento exenatida, que é um agonista do receptor do GLP-1: pequenos estudos já sugeriram que a exenatida pode limitar alguns dos efeitos degenerativos da doença de Parkinson.

O exenatida pode ser um caminho a seguir contra o mal de parkinson.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO