Tratamento do câncer em ‘crise’ no Reino Unido em plena da pandemia de coronavírus devido à grave falta de profissionais

ANÚNCIO

Pesquisa do Macmillan Cancer Support mostra que o NHS tinha menos de 2.500 enfermeiras de câncer antes da crise da Covid-19, sobrecarregando a força de trabalho cronicamente sobrecarregada e os serviços de apoio.

Os cuidados com o câncer em todo o NHS já estavam em “nível de crise” antes do surgimento da Covid-19, novos dados mostraram, devido à falta de enfermeiras especializadas que deixou milhares de pacientes doentes com falta de suporte crucial e potencialmente salvador.

ANÚNCIO

Antes da pandemia – que interrompeu o diagnóstico, o tratamento e o cuidado de milhões de pacientes com câncer no Reino Unido – o NHS na Inglaterra contava com 2.500 enfermeiras de câncer, de acordo com uma pesquisa do Macmillan Cancer Suppor.

Colocando uma pressão imensa em uma força de trabalho cronicamente sobrecarregada enquanto priva os pacientes de seu tratamento completo.

ANÚNCIO

Essa lacuna na equipe significa que a enfermeira oncológica média precisaria trabalhar quase o dobro (84%) de suas horas contratadas para fornecer o cuidado adequado aos pacientes.

Veja também: Cientistas preocupados com ‘inconsistências de dados’ nos testes russos de vacinas COVID-19

O impacto dessa escassez foi sentido de forma aguda entre os pacientes com câncer , acrescentou Macmillan.

A pesquisa de Macmillan também descobriu que 63% das pessoas com câncer na Inglaterra que dizem não ter recebido apoio suficiente de enfermeiras ficaram inseguras sobre as dúvidas relacionadas à doença.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: INDEPENDENT

 

ANÚNCIO