Seca esgota Rio Paraguai, recurso de salvação do país

ANÚNCIO

O rio Paraguai atingiu seu nível mais baixo em meio século após meses de seca extrema na região, expondo a vulnerabilidade da economia paraguaia encravada.

Cerca de 85% do comércio exterior do Paraguai é realizado por meio do rio, que se esgotou devido à falta de chuvas na área do Pantanal do estado de Mato Grosso, no Brasil. O rio flui dessa área e também atravessa a Bolívia e a Argentina.

ANÚNCIO

Leia também: Brasil é vítima de mancha ambiental e sofre com as ameaças ao Pantanal e Amazonas

A queda do nível da água desacelerou o tráfego de navios de carga no rio Paraguai, causando aumentos significativos nos custos do transporte de combustível, fertilizantes, alimentos e outros bens importados. A crise também expôs a precariedade do acesso do Paraguai à água potável.

Nunca tivemos uma situação tão grave como a que vivemos agora. Estamos nos aproximando do final do ano, um momento em que mais produtos devem entrar ”, disse Nery Giménez, presidente do Centro de Importadores do Paraguai.

ANÚNCIO

O governo anunciou a suspensão das partes mais restritas de seu bloqueio relacionado à pandemia, mas as esperanças de um ressurgimento da atividade econômica foram prejudicadas pelo problema do rio, disse Giménez.

Leia também: “Isso não pode ser um acidente”, diz o detetive da Polícia Federal em incêndios no Pantanal no Brasil

Esteban dos Santos, presidente do Centro de Armadores do Paraguai, disse que as perdas no setor de transporte fluvial do Paraguai já chegam a US $ 250 milhões.

Pescador procura enguias na lama do seco rio Paraguai em Chaco-i, do outro lado do rio de Assunção, Paraguai, quinta-feira, 8 de outubro de 2020. (AP Photo / Jorge Saenz)

O Paraguai pode enfrentar aumentos de preços maiores e escassez de combustível e outros se a situação continuar a piorar. Incêndios florestais também eclodiram em partes do país devido às condições de seca.

A queda do nível do rio Paraguai trouxe uma surpresa: uma ilhota rochosa em Assunção que os geólogos dizem ser parte de um vulcão extinto com mais de 40 milhões de anos.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

 

ANÚNCIO