Poeira lunar é estudada por pesquisadores de Milton Keynes

A “poeira lunar” pode ser uma fonte vital de combustível, material de construção e até água potável para os astronautas, de acordo com a Open University


Pesquisadores de Milton Keynes estão investigando maneiras pelas quais os seres humanos podem “viver da terra” enquanto pisam na lua.

A equipe está baseando seu estudo no solo lunar coletado por Neil Armstrong durante o primeiro pouso na lua em 1969.

A estudante de doutorado Hannah Sargeant disse: “Temos que responder por cada miligrama”.

Saiba Mais
Foto: (reprodução/internet)

Amostras minúsculas de rochas lunares coletadas durante a missão da NASA Apollo 11 são realizadas no Departamento de Ciências Físicas da Open University (OU) em Milton Keynes.

ANÚNCIO

Experimentos, em colaboração com a Agência Espacial Européia (ESA) e cientistas russos, poderão ocorrer na região polar sul da Lua em cinco anos, esperam os cientistas.

O conceito envolve o aquecimento do solo para que o oxigênio reaja com o hidrogênio adicionado – para criar água.

“A água é um dos recursos mais críticos que precisamos para a exploração espacial – não apenas para as necessidades de suporte à vida humana, mas também para produzir combustível de foguete”, disse Sargeant. O conceito envolve o aquecimento do solo para que o oxigênio reaja com o hidrogênio adicionado – para criar água.

“A água é um dos recursos mais críticos que precisamos para a exploração espacial – não apenas para as necessidades de suporte à vida humana, mas também para produzir combustível de foguete”, disse Sargeant.

Dr. Mahesh Anand, professor de ciência planetária e exploração na Open University, foi pioneiro na busca de água na Lua por 10 anos.

Ele também tem colaborado com cientistas em Colônia, na Alemanha, para “derreter” o pó da lua para criar tijolos lunares para uso em futuros projetos de construção no espaço.

O pesquisador Simon Sheridan está desenvolvendo um “espectrômetro de massa” em um protótipo do veículo espacial Moon Luvmi, que está sendo projetado para “cheirar” gases na superfície em busca de água.

Sargeant disse: “A produção de água, a partir de depósitos congelados nos pólos lunares ou a geração de água a partir das próprias rochas, será o primeiro passo para permitir essas missões de exploração espacial a longo prazo”.

Mas por que revisitar a lua?

As pequenas amostras de rochas lunares coletadas durante a missão Apollo 11 da NASA se encontram no Departamento de Ciências Físicas da Universidade Aberta em Milton Keynes.

Formadas durante a criação do sistema solar, as superfícies lunares podem conter pistas sobre a origem da Terra e a evolução do sistema solar. Uma compreensão mais profunda da Lua e de suas rochas também pode fornecer recursos que ajudariam na exploração espacial mais profunda.

A lua está mais uma vez se tornando um ponto chave na exploração do Espaço, com o anúncio de várias missões lunares nos próximos anos, países como a China, a Rússia, Os Estados Unidos e a Europa estão planejando missões de pouso para a próxima década.

Formadas durante a criação do sistema solar, as antigas superfícies da Lua podem conter pistas sobre a origem da Terra e a evolução do sistema solar. Uma compreensão mais profunda da Lua e de suas rochas também pode fornecer recursos que ajudariam na exploração espacial mais profunda.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fontes: https://www.bbc.com/news/uk-england-beds-bucks-herts-51466077

https://www.time24.news/b/2020/02/open-university-scientists-test-moon-dust-for-water.html

ANÚNCIO