Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina ‘dentro de alguns dias’

ANÚNCIO

A Pfizer e a BioNTech disseram na quarta-feira que uma análise completa de sua vacina experimental COVID-19 descobriu que ela protegia 95% das pessoas contra a doença e anunciaram que estavam solicitando a aprovação de emergência dos EUA “dentro de alguns dias”.

A notícia da empresa farmacêutica norte-americana e de seu parceiro alemão trouxe mais esperança a um mundo afetado pela pandemia do coronavírus, e segue um anúncio na semana passada no qual eles disseram que uma análise preliminar mostrou que o produto era 90% eficaz.

ANÚNCIO

Somando-se aos dados encorajadores, foi constatado que a eficácia é consistente em todos os grupos de idade – uma preocupação primária para uma doença que atinge mais fortemente os idosos – bem como os sexos e etnias.

Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina 'dentro de alguns dias'
Foto: (Reprodução/ Internet)

A notícia de quarta-feira veio depois que 170 pessoas adoeceram em um ensaio clínico em andamento com quase 44.000 pessoas – 162 das quais estavam no grupo de placebo e oito das quais receberam o medicamento em duas doses.

Leia também: COVID-19 disparou com 95% de eficácia, buscando liberação em breve

ANÚNCIO

Dos 170 pacientes que adoeceram, 10 desenvolveram COVID-19 grave – nove no grupo do placebo e um no grupo da vacina.

Os novos dados mostraram que a vacina foi geralmente bem tolerada, com a maioria dos efeitos colaterais de curta duração e leves ou moderados.

Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina 'dentro de alguns dias'
Foto: (Reprodução/ Internet)

Cerca de 4% experimentaram fadiga severa e 2% tiveram fortes dores de cabeça após a segunda dose. Pacientes mais velhos tiveram menos efeitos colaterais e mais leves.

Saiba mais: Moderna afirma que sua vacina COVID-19 é 94,5% eficaz. Aqui está o que você precisa saber

A análise preliminar anunciada na semana passada foi baseada em dados de 94 pessoas doentes, e as empresas dizem que os pacientes adicionais agora deram a eles um quadro mais completo.

O teste em andamento em estágio final está ocorrendo em 150 locais nos Estados Unidos, Alemanha, Turquia, África do Sul, Brasil e Argentina.

Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina 'dentro de alguns dias'
Foto: (Reprodução/ Internet)

O teste continuará por mais dois anos para descobrir quanto tempo dura a imunidade e se há questões de segurança de longo prazo.

Leia também: A Pfizer diz que a vacina COVID-19 parece 90% eficaz

Se o FDA emitir uma autorização de uso de emergência, a vacina pode começar a chegar aos primeiros norte americanos – trabalhadores da linha de frente, idosos e outras pessoas de alto risco – na primeira quinzena de dezembro.

Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina 'dentro de alguns dias'
Foto: (Reprodução/ Internet)

Autoridades americanas disseram que o fornecimento aumentará de forma constante e que espera ter doses suficientes de múltiplas vacinas para cobrir toda a população na próxima primavera ou verão.

A Pfizer e a BioNTech disseram que esperam produzir 50 milhões de doses este ano e 1,3 bilhões até o final de 2021.

Saiba mais: Saiba como uma vacina COVID-19 pode funcionar efetivamente se aprovada

Os especialistas receberam bem a notícia, mas disseram que aguardavam informações mais detalhadas, como uma análise da idade e da saúde dos voluntários – o que pode explicar o caso grave de COVID-19 no grupo da vacina.

Pfizer vai solicitar aprovação de emergência para sua vacina 'dentro de alguns dias'
Foto: (Reprodução/ Internet)

Na segunda-feira, a empresa americana de biotecnologia Moderna disse que a vacina de duas doses desenvolvida com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH) foi 94,5% eficaz, de acordo com uma análise preliminar.

Veja também: Brasil vai retomar ensaios clínicos de vacina candidata a vírus no país

Ambas as vacinas usam a tecnologia de RNA (ácido ribonucléico mensageiro) para entregar material genético ao corpo que faz as células humanas criarem uma proteína a partir do vírus.

Isso treina o sistema imunológico para estar pronto para atacar se encontrar o SARS-CoV-2.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO