O detector de tosse da equipe do MIT identifica 97% dos casos de COVID-19, mesmo em pessoas assintomáticas

ANÚNCIO

Parte do desafio no controle da pandemia de coronavírus é identificar e isolar pessoas infectadas rapidamente. Os sintomas do COVID-19 nem sempre são perceptíveis, especialmente no início.

Agora, os cientistas desenvolveram um novo modelo de inteligência artificial que pode detectar o vírus a partir de uma simples tosse.

ANÚNCIO

As evidências mostram que a IA pode detectar diferenças na tosse que não podem ser ouvidas com o ouvido humano e, se o sistema de detecção puder ser incorporado a um dispositivo como um smartphone, a equipe de pesquisa acredita que ele pode se tornar uma ferramenta de triagem inicial útil.

O detector de tosse da equipe do MIT identifica 97% dos casos de COVID-19, mesmo em pessoas assintomáticas
Foto: (Reprodução/ Internet)

Assim que a pandemia começou a se espalhar, a equipe voltou sua atenção para o COVID-19, explorando o que já havia sido aprendido sobre como a doença pode causar mudanças muito pequenas na fala e em outros ruídos que fazemos.

Fique por dentro: As varreduras cerebrais mostram um espectro completo de anormalidades do COVID-19 que não podemos explicar totalmente

ANÚNCIO

A pesquisa de Alzheimer redirecionada para COVID-19 envolveu uma rede neural conhecida como ResNet50. 

Foi treinado em mil horas de fala humana, depois em um conjunto de dados de palavras faladas em diferentes estados emocionais e, em seguida, em um banco de dados de tosses para detectar mudanças no desempenho pulmonar e respiratório.

O detector de tosse da equipe do MIT identifica 97% dos casos de COVID-19, mesmo em pessoas assintomáticas
Foto: (Reprodução/ Internet)

Quando os três modelos foram combinados, uma camada de ruído foi usada para filtrar as tosses mais fortes das mais fracas. 

Leia também: Em plena pandemia do Coronavírus. Você sabe o que é uma pandemia?

Em cerca de 2.500 registros de tosse capturados de pessoas com COVID-19, o AI identificou corretamente 97,1% – e 100% dos casos assintomáticos.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO