O caminho que a Bielorrússia deve seguir depende mais de Moscou do que de Minsk

ANÚNCIO

Os líderes democráticos convencionais geralmente não sentem a necessidade de portar uma arma de assalto no desempenho de suas funções, muito menos de ter fotos de si mesmos totalmente armados, para o caso de a turba que se aproxima os alcançar, espalhados por todas as redes sociais.

Alexander Lukashenko, o ditador cada vez mais sitiado da Bielo-Rússia, no entanto, não é um líder convencional; e seu destino e o de seu país não serão decididos por meios convencionais.

ANÚNCIO

Leia também: Líder da Bielo-Rússia cita suposta ameaça da OTAN para reforçar o governo

Parece cada vez mais provável que, astuto e implacável como é, Lukashenko não conseguirá realizar a ambição final de todos os ditadores ao longo da história – morrer pacificamente.

Foto: (Reprodução / internet)

Perante diversos protestos, o atual presidente da Bielo-Rússia que está no poder desde 1944, considerado um ditador se vê ameaçado após a população local se posicionar contra os resultados da eleição, do qual Lukashenko ficou com uma porcentagem de votos maior que 50%, conforme os resultados divulgados pelo país.

Fique por dentro: Protestos na Bielo-Rússia: trabalhadores vaiam Lukashenko à medida que a agitação eleitoral se espalha

Todavia, as pessoas da Bielo-Rússia não acreditam no resultado e estão clamando por novas eleições. O governo dos EUA se posicionou contra os resultados das eleições.

ANÚNCIO

Caso você queira se informar mais sobre o assunto clique aqui.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: Independent

 

ANÚNCIO