Novo teste brilhante encontra superbugs no sangue de um paciente, em apenas uma hora

ANÚNCIO

A velocidade é importante quando se trata de detectar bactérias resistentes a antibióticos no sangue – quanto antes esses superbactérias forem encontrados, mais cedo os médicos poderão prescrever o tratamento correto.

Além de melhorar significativamente as perspectivas dos pacientes e limitar a disseminação desses insetos, um diagnóstico mais rápido também significa menos tempo perdido com antibióticos que não serão eficazes.

ANÚNCIO

No momento, o tempo mais rápido de diagnóstico de superbactérias é de cerca de 24 horas. Agora, uma nova pesquisa identificou uma maneira de concluir o processo de coleta e análise de sangue total no espaço de apenas uma hora.

Novo teste brilhante encontra superbugs no sangue de um paciente, em apenas uma hora
Foto: (Reprodução/ Internet).

Pesquisadores de todos os campos da biologia molecular, química, óptica integrada e processamento químico se uniram para criar o novo processo, que pode procurar três superbactérias diferentes de uma vez.

Leia também: É oficial. O mundo já ultrapassou 50 milhões de casos confirmados de coronavírus

ANÚNCIO

Por meio de um processo de rotação do sangue, as bactérias são isoladas das amostras para que seu DNA possa ser analisado. 

Os pesquisadores usaram moléculas fluorescentes projetadas para se ligar especificamente a segmentos de DNA bacteriano que contêm genes conhecidos de resistência a antibióticos. 

Novo teste brilhante encontra superbugs no sangue de um paciente, em apenas uma hora
Foto: (Reprodução/ Internet).

Se esses genes estivessem presentes na amostra, eles poderiam ser detectados por um microchip.

Leia também: Apoiadores interrompem testes brasileiros de vacina chinesa

Há inovação em todo o processo também – desde a forma como o sangue é separado até o método de detecção óptica no chip que permite que vários tipos diferentes de bactérias resistentes a antibióticos sejam detectados (conhecido como multiplexação).

Novo teste brilhante encontra superbugs no sangue de um paciente, em apenas uma hora
Foto: (Reprodução/ Internet).

Os superbugs têm evoluído cada vez mais para resistir às melhores drogas que podemos lançar contra eles, e são uma preocupação crescente para os cientistas. 

É uma questão de saber se eles podem se adaptar aos nossos tratamentos mais rápido do que podemos adaptar os tratamentos.

Fique por dentro: À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI

O novo exame de sangue com microchip é uma solução totalmente nova para um problema que existe há milhões de anos e, embora não ataque os superbactérias diretamente, significa que eles podem ser detectados e atacados muito antes.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO