Novas evidências apoiam alegações controversas de humanos nas Américas há 130.000 anos

ANÚNCIO

Três anos atrás, uma equipe de arqueólogos dos Estados Unidos propôs uma ideia extraordinária: os primeiros colonizadores humanos nas Américas chegaram pelo menos 100.000 anos antes do que pensávamos.

A evidência veio de uma coleção de ossos de mastodontes e pedras antigas que datam de cerca de 130.000 anos atrás, que parecem ter sido martelados e raspados pelos primeiros humanos

ANÚNCIO

Os restos mortais foram encontrados nos subúrbios de San Diego na década de 1990, e os pesquisadores acreditam que as pedras próximas podem ter sido usadas como martelos e bigornas para trabalhar nos ossos. Mas fora deles, nenhum outro traço de atividade humana foi encontrado.

Novas evidências apoiam alegações controversas de humanos nas Américas há 130.000 anos
Pedras utilizadas para confecção de artefatos. Foto: (Reprodução/ Internet)

Hoje, o sítio Cerutti Mastodon (CM) continua sendo uma das escavações arqueológicas mais controversas do mundo. 

Leia também: Ossos de criança enterrados há 40.000 anos resolvem um antigo mistério do Neandertal

ANÚNCIO

Durante anos, os cientistas analisaram os resultados e se eles indicavam ou não a presença de humanos na América do Norte há 130.000 anos, mas os autores originais não desistem. 

A equipe agora publicou um artigo de acompanhamento que afirma ter encontrado vestígios de ossos de mastodontes antigos nas laterais voltadas para cima de duas pedras do calçamento coletadas no local. 

Novas evidências apoiam alegações controversas de humanos nas Américas há 130.000 anos
Pedras utilizadas para confecção de artefatos. Foto: (Reprodução/ Internet)

De acordo com o artigo, os novos dados sugerem que ossos de mastodontes foram de fato colocados no topo dessas ‘bigornas’ rochosas e atingidos com algum tipo de martelo – presumivelmente por humanos.

Saiba mais: Ossos de mamute incrivelmente bem preservados continuam aparecendo no México

Os artefatos antigos foram encontrados perto de um local de trabalho em uma estrada, então alguns críticos acreditam que os ossos foram quebrados e raspados pela atividade de caminhões e outros distúrbios semelhantes.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO