NASA encontra dunas de areia de bilhões de anos preservadas em Marte

ANÚNCIO

Escondido em um cânion em Marte, os cientistas descobriram um campo de areia sólida varrido pelo vento, que se transformou em rocha há cerca de um bilhão de anos.

Apesar de estar fortemente erodida, esta planície congelada de paleodunas resistiu ao tempo notavelmente bem, muito mais do que ondas fossilizadas de areia na Terra, que estão sujeitas aos caprichos do vento, da água e das paisagens mutantes do tempo profundo.

ANÚNCIO

Compreender como essas formas de dunas resistiram ao teste do tempo pode nos dar uma visão sobre os processos sedimentares em Marte e revelar algo sobre a história geológica do planeta ao mesmo tempo.

imagem do artigo principal
(NASA / JPL / Universidade do Arizona)

Hoje, em Marte, dunas de areia, açoitadas pelo vento, são uma característica comum, e o tamanho e a disposição daquelas fixadas na parte mais larga do cânion Valles Marineris – o Melas Chasma – parecem notavelmente semelhantes às formadas mais recentemente.

Isso sugere que o clima e a atmosfera em Marte mudaram pouco em muito, muito tempo.

ANÚNCIO

Fique por dentro: Acabamos de obter mais evidências que bactérias podem sobreviver à jornada entre a Terra e Marte

Os astrônomos dizem que a orientação, comprimento, altura, forma e inclinação das palaeo-dunas de Melas Chasma se parecem com ondas de areia recém-formadas vistas em outros lugares do Planeta Vermelho.

Algum tempo depois, prevêem os autores, um composto volátil entrou em contato com as dunas de areia compactadas e ajudou a endurecê-las, congelando as ondas com o tempo enquanto elas migravam pelo Melas Chasma.

Descoberta de dunas de areia em Marte HiRISE 2020
(NASA / JPL / Universidade do Arizona)

Esse mesmo tipo de processo pode ser visto na Terra quando a água subterrânea invade uma duna de areia parcialmente enterrada – camadas formadas de areia litificada, como as famosas estruturas listradas vistas no Parque Nacional de Zion.

Ao contrário do nosso planeta, no entanto, as dunas de areia litificadas em Marte têm muito menos elementos com os quais lutar.

Leia também: Vênus poderia ter sido um mundo temperado habitável se não fosse por Júpiter

Na ausência de água, vegetação ou placas tectônicas, a exposição aos ventos alísios é o principal fator de erosão em Marte e, ao longo do tempo, isso ajudou a reter a concha vulcânica que antes cobria essas dunas.

HiRISE martian dunes 1
Aproximação das dunas de areia tiradas pela câmera HiRISE. (NASA / JPL-Caltech / Universidade do Arizona)

A mera existência e grau de preservação visto nessas dunas indica uma diferença importante na evolução da paisagem da Terra e de Marte.

Leia também: Até mesmo a imensa escuridão de um buraco negro obedece à teoria de Einstein, mostra estudo

Enquanto as antigas dunas de areia litificadas na Terra são raras de se encontrar e muito mais erodidas, o Melas Chasma parece possuir “extensos campos de paleodunas espalhados pelo fundo da bacia, onde muitas formas de dunas e sua morfologia parecem amplamente intactas.

O estudo foi publicado na JGR Planets.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO