Museu Nacional contará com ajuda da Alerj para reconstrução

ANÚNCIO

Segundo nota da Alerj, “as verbas serão disponibilizadas à medida que as etapas do projeto forem executadas”.

A Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) irá ajudar nas obras de reconstrução do Museu Nacional do Rio de Janeiro, que teve parte de seu acervo queimado no incêndio que ocorreu no dia 2 de setembro do ano passado.

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

O Museu Nacional, além de ter perdido importantes artefatos no incêndio, ainda teve um desabamento na laje do prédio, causando um grande dano aos bens culturais do país.

A Ajuda da Alerj

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro oferecerá apoio financeiro no valor estimativo de R$20 milhões para ajudar no custo dos reparos na estrutura do prédio.

De acordo com a assessoria de imprensa da Alerj, esse repasse do valor será feito conforme o projeto de reconstrução do Museu Nacional for sendo apresentado. Segundo nota da Alerj, “as verbas serão disponibilizadas à medida que as etapas do projeto forem executadas”.

ANÚNCIO

A ajuda por parte da Alerj foi decidida após reunião feita com o presidente da Alerj (André Ceciliano, do Partido dos Trabalhadores – PT), a reitora da UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro (Denise Pires Carvalho) e o diretor do Museu Nacional (Alexander Kellner). 

Além deles, participaram também da reunião os deputados Waldeck Carneiro (do PT) e Renan Ferreirinha (do PSB). Ambos integram a Comissão Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

A reconstrução do Museu Nacional

Foi criado um novo projeto para a reconstrução do Museu Nacional, visando atrair apoio das iniciativas privadas na execução dos projetos. O novo modelo de projeto estabelece  o protocolo de intenções que faz licitação das obras, pois, segundo Alexander Kellner, diretor do Museu, “Certamente, quando você traz transparência, consegue melhorar este processo. Nós teremos também mais agilidade”.

Além da Alerj, o Museu nacional contará com a ajuda da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), do  BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e da Fundação Vale.

Relembre a tragédia no Museu Nacional

No dia 2 de setembro de 2018, um grande incêndio atingiu o Museu Nacional, no começo da noite de domingo. O Museu, que fica localizado na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, é um prédio histórico que serviu de residência para a família real brasileira. O corpo de bombeiros foi acionado por volta das 19h30. Contudo, o fogo já tomava conta de parte do prédio.

O acervo do Museu Nacional é um dos maiores do Brasil, tendo quase 20 milhões de peças arquivadas. O prédio possui três andares e parte da sua estrutura foi destruída no incêndio.

Muitos artefatos importantes para a história do país foram perdidos. No entanto, após o incêndio, muitos grupos de pesquisadores investiram nas buscas e conseguiram recuperar algumas coisas.

O resgate às peças do Museu foi feito por cientistas de diversas áreas: paleontólogos, arqueólogos, geólogos e outros trabalhando para minimizar o grande estrago que foi causado tanto à história do Brasil quanto à sua cultura.

ANÚNCIO