Migrante sudanês que se afogou tentando chegar ao Reino Unido

ANÚNCIO

O migrante sudanês que se afogou ao tentar atravessar o Canal da Mancha foi batizado como Abdulfatah Hamdallah.

Um oficial francês confirmou sua identidade ao The Independent em meio a uma investigação sobre sua morte.

ANÚNCIO

Philippe Sabatier, promotor público adjunto de Boulogne-sur-Mer, disse que um documento de viagem transportado por Hamdallah indicava que ele tinha 28 anos.

Foto: (reprodução/internet)

Seu amigo, que sobreviveu quando o pequeno bote virou, disse à equipe de resgate que ele tinha 16 anos.

Sabatier disse que a dupla estava morando no campo “Jungle” de Calais por dois meses antes de tentar a travessia, mas que os investigadores ainda não haviam calculado sua jornada para a França.

ANÚNCIO

O Sr. Hamdallah e seu amigo roubaram um barco inflável de um chalé em Sangatte, junto com pás para usar como remos.

Um acampamento apelidado de “Nova Selva” em Calais é o lar de cerca de 3.000 pessoas, a maioria das quais busca desesperadamente chegar à Inglaterra (AFP / Getty)

Um relatório parlamentar divulgado em novembro disse que as condições “terríveis” nos acampamentos na área estavam entre os fatores que impulsionaram o aumento das travessias marítimas de migrantes.

A embarcação era um pequeno bote que pode ser comprado em supermercados, disseram as autoridades, e inflado pela boca.

Os especialistas acreditam que o rastro de uma balsa ou navio comercial que passava seria capaz de derrubá-lo.

O amigo de Hamdallah conseguiu chegar à costa, sofrendo de hipotermia, e alertou as autoridades pouco depois da 1h da quarta-feira.

Uma busca marítima foi realizada com barcos e um helicóptero da Força Aérea belga, mas foi cancelada por volta das 4h30, quando nada foi encontrado.

As autoridades foram alertadas sobre a descoberta do corpo às 8h e anúncios oficiais das autoridades francesas disseram que ele tinha 16 anos.

Policiais franceses observando a evacuação do campo de imigrantes de Grande Synthe, no Norte da França, em 17 de Setembro de 2019. (Francois Lo Presti/ Getty)

Um político francês culpou o governo britânico por ter causado a morte, em meio a negociações contínuas com o objetivo de reduzir o número de migrantes que tentam fazer a travessia.

O Sr. Hamdallah é um dos pelo menos cinco migrantes que se afogaram ao tentar atravessar o Canal da Mancha no ano passado.

Em maio, um migrante afogado foi encontrado no porto de Calais, dois homens foram encontrados na praia de Touquet em outubro e em agosto de 2019, uma iraniana se afogou.

Os números das Nações Unidas mostram que mais de 19.500 migrantes perderam suas vidas tentando chegar à Europa através do Mar Mediterrâneo desde 2014, mas o número de mortos no Canal da Mancha não é registrado formalmente.

A Força de Fronteira disse que 164 pessoas viajando em 11 navios chegaram ao Reino Unido na quarta-feira, elevando o total em 2020 para quase 5.000.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: INDEPENDET

ANÚNCIO