Margaret Atwood e sua turnê virtual do seu livro “Testamentos” e suas concepções sobre o governo Trump

ANÚNCIO

A severa distopia “The Handmaid’s Tale” não dá nenhuma indicação de como Margaret Atwood pode ser encantadora em uma conversa. Seu humor é seco, sua perspectiva vasta, suas referências amplas.

A autora de 80 anos, é uma das favorita entre as apostas do Prêmio Nobel de Literatura, escreveu ficção, poesia, não ficção, contos, histórias em quadrinhos e livros para crianças – 59 títulos ao todo.

ANÚNCIO

Atwood classifica muito de seu trabalho como ficção especulativa, este mundo transformado por eventos que se originam de nosso presente e passado.

The author Margaret Atwood.
The author Margaret Atwood.(Luis Mora).

Foi assim que o estado religioso totalitário de “The Handmaid’s Tale” surgiu em 1985. Na trilogia MaddAddam, concluída em 2013, ela imaginou uma pandemia devastadora, sobrevivida por alguns humanos e uma série de criaturas animalescas.

Adepta de novas tecnologias e franca sobre a catástrofe climática, ela também está entre nossas autoras mais reconhecidas, com sua coroa de cabelos grisalhos encaracolados fazendo uma participação especial no Emmy Awards 2017 ao lado do elenco e da equipe de “The Handmaid’s Tale”.

ANÚNCIO

“Os Testamentos”, sequencia de O conto da Aia ganhou o Prêmio Booker no ano passado.

Book jacket for Margaret Atwood's "The Testaments."
(Doubleday Books).

Marcando seu lançamento em brochura, ela estará discutindo isso na terça-feira em um evento da Chevalier’s Books – a desculpa perfeita para ligar para seu escritório em Toronto e falar sobre o que estava em sua mente.

ALERTA DE SPOILER 

Para ficarmos por dentro de todo universo dessa maravilhosa escritora, entrevistamos ela para tirar todas as dúvidas possíveis. Dê uma olhada:

Em eventos de palestras recentes, você foi entrevistado por mulheres e, em Los Angeles, você vai falar com Bradley Whitford. Como isso vai ser diferente?

Bem, acho que vamos descobrir! [Risos] Vai ser uma dessas coisas online, como você sabe, o que significa que você não precisa usar sapatos especiais. O que nos foi dito é que, embora as vendas de tampos tenham continuado durante a COVID, as vendas de fundos não continuaram. Ninguém está mostrando seu traseiro de propósito.

Você tem um top especial para seus eventos?

Tenho vários tops especiais. Depende apenas de como estou me sentindo naquele dia. Eu tenho tops verdes e eu tenho tops vermelhos e tenho tops rosa.

Todas essas são temáticas para “Os Testamentos”.

Verde é, sim.

E Agnes usa rosa quando ela é uma menina. Assim –

Eu odeio quebrar isso com você, mas eu não sou uma garotinha.

Who Are Hannah's New Parents On 'The Handmaid's Tale'? Fans Are Shocked &  Confused
Foto de cena da série “O Conto da Aia’ com a presença da Agnes de rosa, filha da protagonista. Foto: Reprodução/ Internet.

Portanto, “Os Testamentos” já saiu em brochura.

Sim. E eles estão começando a filmar a 4ª temporada, que foi atrasada por causa do COVID.

De “The Handmaid’s Tale,” no Hulu.

É “O Conto da Aia”, mas é claro que agora eles têm “Os Testamentos” também, o que lhes dá a história de fundo de tia Lydia.

“Os Testamentos” se passa cerca de 16 anos antes. A expansão da história da tia Lydia foi inspirada pelo desempenho premiado de Ann Dowd no show?

Comecei a escrever e tive o conceito, antes que pudesse ver qualquer coisa na tela, mas vi um pouco da filmagem.

Leia também: Os cineastas devem aceitar convites para estrear seus filmes virtualmente?

Na verdade, eu estive em algumas das filmagens disso. A cena na 1ª temporada em que tia Lydia está conduzindo a sessão de vergonha e alguém bate na cabeça de Elisabeth Moss. Na verdade sou eu, como você provavelmente sabe.

Tivemos que atirar várias vezes, porque falaram, vamos, bate com mais força. Eles adicionaram um efeito sonoro.

Ann Dowd, left, and Elisabeth Moss in "The Handmaid's Tale" on Hulu.
Ann Dowd, à esquerda, e Elisabeth Moss em “The Handmaid’s Tale” no Hulu. (George Kraychyk / Hulu).

Essa ideia da polícia secreta guardando os segredos sujos de todos – essa é a fonte do poder de tia Lydia.

Esse é o seu poder. Mas ela nunca poderia ser uma líder porque ela é mulher.

Então, como escritor de ficção especulativa, você extrapola a partir das notícias, você volta aos recortes. Eu li a “Parábola do Semeador” de Octavia Butler, e ela trabalhou de maneira semelhante. Eu me pergunto, você conversou sobre essa metodologia com alguém? Você e ela já se cruzaram?

Não, infelizmente, eu não a conhecia. Mas não estou surpreso que ela tenha feito isso porque é a mesma coisa que Orwell estava fazendo em “1984”. É a mesma coisa que [Yevgeny] Zamyatin estava fazendo em seu romance seminal chamado “Nós”, que teve uma influência direta sobre Orwell, e que ele publicou em 1923.

1984 - Cia Das Letras - Livrarias Curitiba
Foto: (Foto/ Internet).

Ele praticamente expõe o que Stalin iria fazer. É assustador. Mas ele estava observando, ele tinha sido um velho bolchevique. “1984” foi chamado de “1984” porque é 1948 transposto [o ano em que Orwell terminou de escrevê-lo].

Leia também: Consumo de streaming na Ásia derrota tendência global no segundo trimestre afetado por vírus

Todos os escritores de ficção especulativa estão escrevendo sobre o presente e o passado.

Eles não estão realmente escrevendo sobre o futuro. Mas eles estão olhando para o presente e estão dizendo, se você continuar seguindo por esse caminho em que estamos, é aqui que você provavelmente vai parar.

Fique por dentro: Lily Allen veste Dior para unir laços matrimoniais com David Harbor de Stranger Things

Os seres humanos já fizeram isso no passado, o que significa que faz parte do manual do ser humano. E, portanto, pode acontecer de novo, talvez com roupas diferentes.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: Los Angeles Time

 

ANÚNCIO