Kim Kardashian visita Casa Branca com prisioneiros que ajudou a libertar

ANÚNCIO
A estrela da TV Kim Kardashian West twittou fotos de sua visita à Casa Branca na quarta-feira com três mulheres recentemente libertadas da prisão.

O presidente dos EUA, Donald Trump, encurtou as penas de prisão de Crystal Munoz, Judith Negron e Tynice Hall em fevereiro.

ANÚNCIO

As mulheres foram presas por crimes relacionados a drogas e colarinho branco, e todas tiveram filhos pequenos quando presas.

Em 2018, Kardashian West fez lobby na Casa Branca em nome de uma avó presa por toda a vida.

Acredita-se que Trump conheceu as três mulheres que visitaram na quarta-feira, de acordo com o New York Post.

ANÚNCIO

“O presidente Trump comutou as sentenças de três mulheres realmente merecedoras. Eu não ouvi muito sobre isso nas notícias, então queria compartilhar com você suas lojas!” Kardashian West twittou.

“Tenho o prazer de passar o dia com essas mulheres hoje, junto com @AliceMarieFree [Alice Johnson], que ajudou a escolher essas mulheres”.

Os nomes das mulheres foram sugeridos por Alice Johnson, uma avó de 63 anos que recebeu clemência em uma decisão de alto nível por Trump em 2018. Kardashian West fez lobby na Casa Branca por sua libertação.

Johnson foi condenada à prisão perpétua por uma condenação não violenta por drogas em 1996 e tornou-se um símbolo de muitas sentenças duras nos EUA.

Foi Kardashian West quem ligou para Johnson para dizer que estava livre, disseram seus advogados.

Os presidentes dos EUA têm o poder de cortar sentenças curtas de criminosos ou até de perdoá-los.

Em fevereiro, Trump concedeu clemência a onze pessoas no total, incluindo o ex-governador de Illinois, Rod Blagojevich.

As mulheres também apelaram ao presidente Barack Obama para que suas sentenças fossem comutadas antes de ele deixar o cargo, mas os pedidos foram negados.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais.
Fonte: BBC, NY Post.
ANÚNCIO