Jovem influenciadora branca é criticada por discurso sobre ‘Privilégio Branco’

A filha da atriz que está na prisão, Lori Loughlin, confessou sua culpa branca após a morte de George Floyd, e alguns internautas não a estavam sentindo.

Olivia Jade Giannulli pediu aos seguidores do Instagram que denunciassem atos de racismo, em vez de condená-los interiormente, enquanto os protestos continuavam pela morte de George Floyd, um negro desarmado que morreu depois que um policial branco de Minneapolis se ajoelhou no pescoço.

Muitos rejeitaram a influenciadora social de 20 anos como a mensageira errada, já que seus pais, a atriz Lori Loughlin e o estilista Mossimo Giannulli, de Full House, foram para a prisão após se autodeclararem culpados por fraude e conspiração. Os dois pagaram US $ 500.000 para que Olivia Jade e sua irmã Isabella fossem fraudulentamente admitidas na USC.

Foto: (reprodução/internet)

Uma passagem específica sobre o privilégio dos brancos no discurso de Olivia Jade parecia irritar alguns leitores.

“Como uma pessoa que nasceu em privilégio com base na minha cor de pele e situação financeira, eu nem sempre sabia que esses problemas ainda estavam presentes“, escreveu ela. “E isso me faz sentir horrível. Mas isso também me alimenta. Isso me faz querer aprender mais, fazer mais e ser melhor para todos os meus lindos amigos negros e qualquer outra pessoa que enfrenta discriminação. Não sou racista e nunca fui, mas preciso falar sobre isso, porque não ser racista não basta.”

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

Olivia Jade, que não foi acusada pelo escândalo de admissões na faculdade, tentou esporadicamente retornar às mídias sociais desde a prisão de seus pais em março de 2019.

Foto: (reprodução/internet)

Para críticos, manter a culpa e a discriminação brancas em uma história do Instagram talvez não fosse o caminho a seguir.

“Fale sobre uma completa falta de autoconsciência”, escreveu um usuário do Twitter.

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: huffpostbrasil.

ANÚNCIO