Instituto de Moda pede desculpas por show ‘claramente racista’

ANÚNCIO

Uma faculdade de moda da cidade de Nova York se desculpou depois que um desfile foi considerado racista.

As modelos foram convidadas a usar orelhas protéticas, lábios e sobrancelhas grossas para uma coleção executada por estudantes de design de moda no evento em Manhattan.

Os acessórios foram criticados online depois que uma modelo afro-americana disse que não usaria os itens “claramente racistas” no evento em 7 de fevereiro.

ANÚNCIO

O Fashion Institute of Technology disse que o assunto está sendo investigado.

“Atualmente”, disse seu presidente Joyce F. Brown em comunicado, “não parece que a intenção original do design, o uso de acessórios ou a direção criativa do programa seja fazer uma declaração sobre a raça.

“No entanto, agora é evidentemente óbvio que foi nisso que resultou. Assim sendo, nos desculpamos – àqueles que participaram do programa, aos estudantes e a qualquer pessoa que tenha se ofendido com o que viu”.

ANÚNCIO

O desfile de moda virou trend no início deste mês, quando uma modelo afro-americana revelou que foi convidada a usar os acessórios.

Amy Lefevre disse ao New York Post que aconselhou a equipe do show que se sentia desconfortável ao usar os itens, mas foi informada “era bom sentir-se desconfortável por apenas 45 segundos”.

Jonathan Kyle Farmer, que ocupa cadeira presidencial do curso de design de moda moderna, que dirigiu o desfile, pediu desculpas diretamente à modelo.

“Peço desculpas por qualquer dano e dor que causei aos envolvidos no programa”, disse ele em um post no Instagram,  inclui Amy Lefevre.

“Assumo toda responsabilidade e estou comprometido em aprender com essa situação e fazer o possível para melhorar”. declarou o Farmer.

Fontes: BBC, Instagram, NY Post.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais.

ANÚNCIO