Garotinha puxada por leão marinho no Canadá passa por tratamento de doença rara

Uma pequena criança canadense que foi puxada de um píer por um leão-marinho mostrada num vídeo que se tornou viral agora está sendo tratada por um tipo raro de doença.

  • Apesar do grande susto ainda existe uma preocupação maior

Tudo aconteceu em Richmond, Colúmbia Britânica, onde a criança foi puxada por um leão-marinho para dentro da água pelas costas do vestido.

Enquanto o resto do mundo ria do vídeo, a equipe do Vancouver Aquarium alertou sua família sobre o risco de uma doença particularmente rara, conhecida como dedo de foca.

Doença de tratamento delicado

As focas e os leões marinhos carregam bactérias desconhecidas em mamíferos terrestres chamados mycoplasma phocacerebrale.

Quando mordidos, os seres humanos podem desenvolver infecções resistentes a alguns antibióticos e que são conhecidas por levar a amputações de dedos ou até de mãos.

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

Atenção especial aos funcionários do aquário 

“Se algum membro da nossa equipe de cuidados de animais recebe uma mordida de uma foca ou leão-marinho, eles levam uma carta do nosso veterinário para o hospital, que explica que a infecção é resistente a alguns antibióticos”, disse Deana Lancaster, porta-voz do Aquário de Vancouver ao ABC news.

Assistência a criança

“A família viu as reportagens na mídia e entrou em contato conosco. Ela sofreu uma ferida superficial e vai receber o tratamento certo”.

  • Posicionamentos

Da família

A família, que só foi identificada pelo sobrenome Lau, negou que eles estivessem alimentando os leões-marinhos no momento do ataque, embora outros espectadores o tenham feito.

O pai confirmou que foi o avô da menina que pulou na água para salvá-la.

“Se ele tivesse alguma dúvida de um ou dois segundos sobre isso, minha garota já teria sumido”, disse ele à ABC.

Foi relatado que a família está considerando uma ação legal contra o estudante que filmou o vídeo pela insinuação de que eles eram os que estavam alimentando o leão-marinho.

De um especialista

O diretor da Unidade de Pesquisa em Mamíferos Marinhos da UBC, Andrew Trites, criticou a família.

“Minha primeira reação ao vídeo é o quão estúpida algumas pessoas podem ser para não tratar a vida selvagem com o devido respeito”, disse ele.

“Eles são animais enormes. Eles não são artistas de circo. Eles não são treinados para ficar ao lado das pessoas”.

 

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: 9news.

ANÚNCIO