EUA faz pesado exercício militar no Mar da China e provoca Pequim

ANÚNCIO

A China acusou os EUA de flexionar seus músculos militares no Mar da China Meridional, realizando exercícios conjuntos com dois grupos de porta-aviões dos EUA na estratégica hidrovia.

China acusa e EUA se defende

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, disse que os exercícios foram realizados “totalmente por motivos ocultos” e minaram a estabilidade na área.

ANÚNCIO

“Nesse cenário, os EUA deliberadamente enviaram forças maciças para realizar exercícios militares em larga escala nas importantes águas do Mar da China Meridional para flexionar seus músculos militares”, disse Zhao numa entrevista diária.

Foto: (reprodução/internet)

A Marinha dos EUA disse no fim de semana que o USS Nimitz e o USS Ronald Reagan, juntamente com seus navios e aeronaves, realizaram exercícios “projetados para maximizar as capacidades de defesa aérea e estender o alcance de ataques marítimos de precisão de longo alcance de aeronaves baseadas em porta-aviões numa área de operações em rápida evolução.”

Foto: (reprodução/internet)

Área disputada

A China reivindica quase todo o Mar da China Meridional e frequentemente se opõe a qualquer ação dos militares dos EUA na região.

ANÚNCIO

Outros cinco governos reivindicam todo ou parte do mar, através do qual aproximadamente US $ 7,2 trilhões em mercadorias são embarcados todos os anos.

Foto: (reprodução/internet)

A China procurou reforçar sua reivindicação ao mar construindo bases militares em atóis de coral, fazendo os EUA navegarem com navios de guerra pela região no que chama de missões de liberdade de operação.

Washington não se posiciona oficialmente sobre as reivindicações territoriais rivais na região, mas está intimamente aliado a vários dos queixosos e defende que as águas e o espaço aéreo acima sejam livres para todos os países.

Foto: (reprodução/internet)

 

 

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: 9news.

ANÚNCIO