Estudo comovente mostra os efeitos de longo prazo de gritar com seu cachorro

ANÚNCIO

Seu cachorro pode ser a menina dos seus olhos, mas sejamos honestos: ele é um animal, com seus próprios instintos e idiossincrasias, e às vezes ela vai te dar vontade de arrancar o cabelo.

Por mais que você queira, no entanto, uma nova pesquisa sugere que você nunca deve gritar ou punir um vira-lata travesso.

ANÚNCIO

Esse tipo de pesquisa já foi conduzido antes e descobriu que o treinamento aversivo tem efeitos negativos, mas foi principalmente em cães policiais e de laboratório. Além disso, o treinamento aversivo tende a ser o treinamento com colar de choque, que é apenas uma das várias ferramentas utilizadas.

Estudo comovente mostra os efeitos de longo prazo de gritar com seu cachorro
Foto: (Reprodução/ Internet).

Assim, liderada pela bióloga Ana Catarina Vieira de Castro, da Universidade do Porto, em Portugal, a equipa internacional de investigadores realizou o seu novo estudo com cães de companhia.

Leia também: Cachorro italiano é chamado de “pistache” por conta da sua cor de nascença.

ANÚNCIO

Os animais foram recrutados em várias escolas de treino no Porto – 42 cães de três escolas que usam treino baseado em recompensa como guloseimas ou brincadeiras, e 50 cães de quatro escolas que usam treino de base aversiva, como gritar, manipular fisicamente o cão, ou puxão da guia. 

Técnicas 

Estudo comovente mostra os efeitos de longo prazo de gritar com seu cachorro
Foto: (Reprodução/ Internet).

Duas dessas escolas usavam técnicas de treinamento com base aversiva moderada e duas eram mais severas.

Saiba mais: Uma família australiana acaba de encontrar um coala vivo em sua árvore de Natal

Cada cão foi filmado durante os primeiros 15 minutos de três sessões de treinamento, e amostras de saliva foram coletadas para avaliar os níveis de estresse do treinamento – três de cada cão relaxando em casa para estabelecer os níveis basais do hormônio do estresse cortisol e três de cada cão após o treinamento.

Os pesquisadores também analisaram o comportamento dos cães durante o treinamento para procurar comportamentos de estresse, como bocejar, lamber os lábios, levantar as patas e latir.

Estudo comovente mostra os efeitos de longo prazo de gritar com seu cachorro
Foto: (Reprodução/ Internet).

Sem surpresa, os cães nas aulas de treinamento aversivo mostraram comportamentos de estresse elevado, particularmente bocejar e lamber os lábios. Sua saliva também aumentou significativamente os níveis de cortisol em comparação com quando estavam relaxando em casa.

Leia também: Cachorro de estimação em Hong Kong tem resultados positivos para ‘baixo nível’ de coronavírus

Em contraste, os cães de reforço positivo eram bastante calmos – muito menos comportamentos de estresse e níveis de cortisol muito mais normais.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO