Equipes da NFL são chamadas de ‘hipócritas’ ao participarem do Blackout Tuesday

ANÚNCIO

A Blackout Tuesday viu milhões de pessoas em todo o mundo transformarem seus feeds de mídia social em preto em apoio ao movimento Black Lives Matter e por justiça a George Floyd.

Nos EUA, muitos times da NFL participaram, mas alguns deles realmente deveriam ler mais antes de compartilhar qualquer coisa sobre o Black Lives Matter nas mídias sociais.

ANÚNCIO

A representante da cidade de Nova York, Alexandria Ocasio-Cortez, questionou os Washington Redskins por participarem, principalmente porque o nome deles é depreciativo para os nativos americanos, uma crítica que tem sido direcionada à equipe há décadas.

Foto: (reprodução/internet)

Talvez ainda mais alarmante foi o fato de o San Francisco 49ers ter participado do Blackout Tuesday.

O que foi polêmico, pois os 49ers era a equipe em que Colin Kaepernick jogava, mas foi liberado e forçado a sair da liga depois que ele se ajoelhou durante o hino nacional dos EUA em protesto à brutalidade policial.

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

Embora Kapernick tenha optado por não assinar um novo contrato com a equipe, foi relatado que ele seria cortado de qualquer maneira e, como resultado, não joga na equipe desde 2017, apesar de ser um quarterback aclamado.

As pessoas foram rápidas em acusar os 49ers de hipocrisia com muitos mencionando a saga de Kaepernick.

Mas não foi apenas a NFL que pegou fogo.

A World Wrestling Entertainment, que tem uma longa história de uso de palavras racistas em seu programa de televisão, não apoiando lutadores negros, além de ter nomes como Hulk Hogan e Donald Trump em seu “hall da fama”, foi duramente criticada por ‘condenar injustiça racial’

Talvez mais do que nunca, certas instituições devem refletir sobre suas histórias antes de participar de gestos simbólicos contra o racismo.

 

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: indy100.

ANÚNCIO