Equipe espacial retorna a um planeta Terra muito diferente

ANÚNCIO

Uma tripulação de três retornou da Estação Espacial Internacional (ISS) para um planeta muito diferente do qual eles deixaram no ano passado.

Sem estranhamentos ao isolamento, o russo Oleg Skripochka e Jessica Meir, dos EUA, deixaram a Terra em setembro de 2019, muito antes do surgimento do Covid-19.

ANÚNCIO

Outro americano, Andrew Morgan, está na ISS desde julho de 2019.

A pandemia de coronavírus mudou a rotina usual do retorno de tripulações espaciais.

“É bastante surreal vê-lo (o vírus) se desenrolando na Terra abaixo”, disse Meir a repórteres durante uma recente vídeo chamada. “A partir daqui, a Terra parece tão impressionante como de costume, por isso é difícil acreditar em todas as mudanças que ocorreram desde que partimos”.

ANÚNCIO

O trio aterrissou na Terra às 05:16 GMT, com Skripochka e Meir tendo passado 205 dias no espaço e Morgan 272 dias.

Jessica Meir

Uma série de posts na conta oficial do Twitter da ISS descreveu como a nave Soyuz da tripulação se dividiu em três módulos antes que o módulo de descida atingisse a atmosfera da Terra “criando uma trilha de plasma” no início da sexta-feira.

A cápsula aterrissou com sucesso no Cazaquistão. A agência espacial americana Nasa postou um vídeo dos astronautas sendo recebidos por uma equipe de resgate usando máscara.

A equipe de busca esteve em quarentena rigorosa e acredita-se que tenha sido submetida a testes para o coronavírus imediatamente antes de sair para pegar as chegadas para garantir que não correm o risco de infectá-las.

Em circunstâncias normais, a equipe de busca pegava a tripulação e a levava ao aeroporto mais próximo, de onde voaria para casa. Mas o Cazaquistão declarou estado de emergência e a maioria dos aeroportos está fechada.

A plataforma de lançamento espacial Baikonur, arrendada pela Rússia do Cazaquistão, ainda está em operação e os três tripulantes serão transportados para lá. Os russos levarão um avião para casa, enquanto os americanos serão levados três horas ao sudeste para Kyzylorda, de onde um avião da Nasa os levará de volta para os EUA.

Uma equipe substituta de dois russos e um americano que voaram para a ISS em 9 de abril também tomou as maiores precauções para evitar levar a infecção ao espaço, passando um mês e meio em quarentena antes do lançamento.

Normalmente, uma equipe de astronautas e cosmonautas que retornam passará por um programa especial de reabilitação com duração de várias semanas. Após uma longa estadia em gravidade zero, o corpo precisa de tempo para se acostumar à vida em gravidade constante.

The ISS

Mas desta vez os médicos têm a tarefa adicional de proteger a equipe do coronavírus.

“Será difícil não dar abraços a familiares e amigos depois de ficar aqui por sete meses”, disse Meir na vídeo chamada antes de retornar à Terra. No ano passado, ela fez história depois de completar a primeira caminhada espacial feminina com outra astronauta da Nasa, Christina Koch.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais.

Fonte: BBC.

 

ANÚNCIO