Entenda o PIX, novo meio de pagamento

ANÚNCIO

O mercado financeiro está inovando em seus serviços e produtos, cada vez mais. Dessa vez, o Brasil estuda a possibilidade de trazer o pagamento instantâneo (Pix), modalidade comum em países como China e Austrália.  

O Pix promete proporcionar inovações na forma de fazer transações financeiras, sendo um serviço muito mais rápido e simples. Podendo ser usado por qualquer pessoa que possui uma conta bancária, a ideia é trazer mais praticidade para o dia a dia.

ANÚNCIO

Previsto para ser lançado pelo Banco do Brasil, o sistema brasileiro de pagamento instantâneo se diferencia dos pagamentos bancários tradicionais por liquidar transações na hora e ficar no ar 24 horas por dia.

Entenda o PIX, novo meio de pagamento
Fonte: Reprodução/Internet

Quer entender mais sobre o Pix, novo meio de pagamento, além das suas formas de utilização? Confira o artigo abaixo!

Pagamento Instantâneo (Pix)

Previsto para ser estreado em novembro deste ano, o Pix é um sistema de pagamentos e transferências instantâneo, ou seja, tudo acontecerá em tempo real. Por isso, o seu grande diferencial é a agilidade de movimentações bancárias.

ANÚNCIO

Visando ser uma inovação se comparado ao TED e ao DOC, o sistema usará uma rede moderna que vai funcionar 7 dias da semana e 24 horas por dia. Além de bancos, também estará possível fazer um Pix através de aplicativos de pagamentos.

Ele possibilita o pagamento de contas, impostos e outras taxas com a mesma agilidade das transferências. A transação está disponível tanto pessoas físicas, quanto para pessoas jurídicas, incluindo entes governamentais.

Diferente de hoje em dia, com o Pix, não vai ser mais necessário esperar o dia seguinte para fazer alguma movimentação financeira caso seja fim de semana ou o horário comercial tenha passado. 

Como funcionará essa inovação

A ideia do Pix é que ele pode ser utilizado por qualquer pessoa que tenha uma conta em banco, como poupança ou conta-salário, em instituição de pagamento ou fintech. Vale dizer que não será obrigatório ter, necessariamente, uma conta bancária ou corrente.

Segundo o Banco do Brasil, não será preciso instalar nenhum aplicativo adicional para utilizar o Pix, pois o sistema será incluído aos serviços oferecidos pelas instituições financeiras. Com isso, é provável que a suas plataformas tenham uma opção de transferência ao lado da TED e DOC.

De modo geral, ao realizar o serviço escolhido, o número de conta e agência para realizar a transferência serão substituídos pela Chave Pix. Essa chave pode ser o CPF, CNPJ, número de telefone celular ou endereço de e-mail do usuário.

O pagamento instantâneo tem a data prevista para o seu lançamento de forma restrita em 3 de novembro e liberado para todos no dia 16 de novembro. Porém, será disponibilizado a realização do cadastro no sistema a partir do dia 5 de outubro.

Vantagens do Pix

Uma das propostas do sistema é ser uma ponte única entre a conta de origem e a conta de destino do dinheiro. Para isso, o Pix conta com um diferencial: uma infraestrutura de rede moderna que funciona independente do horário bancário convencional.

A ferramenta terá um custo operacional reduzido, diferenciando-se de outros serviços bancários. As instituições financeiras irão pagar R$ 0,01 para cada 10 transações, enquanto as transferências tradicionais custam de seis a sete centavos. Vale ressaltar, que os preços serão diferentes para pagamentos agendados ou para liquidações durante a madrugada.

Além disso, o Pix conta com uma tecnologia integrada ao QR Code, contendo duas versões para serem utilizadas em diferentes ocasiões, sendo elas: 

  1. Há o código dinâmico – que muda a cada nova transação e é o mais indicada para os estabelecimentos;
  2. E o código estático – que conta ou não com valor pré-definido, sendo mais indicado por pessoas física.

Formas de utilização

O Banco Central estabeleceu algumas opções para que o usuário possa realizar a transferência de diferentes maneiras. Uma delas é informar os dados bancários (nome completo, CPF, número da instituição, agência e conta) de quem vai receber o pagamento, assim como no TED e DOC hoje.

Também será possível utilizar mais dois métodos: a Chave Pix, a qual basta o usuário adicioná-la a uma conta que já possui e a leitura de QR Codes estáticos ou dinâmicos. Ambas as opções estão disponíveis para todo o tipo de usuário.

Deve-se mencionar que o Pix será obrigatoriamente gratuito somente para as pessoas físicas, ou seja, as empresas poderão ser cobradas. Por isso, é preciso verificar as informações relacionadas a isso.

Para mais informações

Para consultar informações acerca do pagamento instantâneo (Pix), basta contatar os meios de contato disponibilizados pelo Banco do Brasil:

Além disso, há a sede fixa localizada em Brasília, no SAUN, Quadra 5, Lote B, Edifício Banco do Brasil, CEP 70040-912.

ANÚNCIO