Devastado pelo coronavírus, Brasil deposita esperanças na vacina chinesa com o inicio das vacinações no país

ANÚNCIO

O Brasil foi o terceiro país com o maior número de mortes por conta da COVID-19, com a situação tão caótica principalmente no estado do Amazonas, tendo em vista a falta de oxigênio no estado, o país vê a vacina chinesa como uma saída para esses problemas alarmantes. 

Enquanto grande parte do planeta já começou a caminhar com o processo de vacinação, o Brasil aparentava não estar caminhando conforme o esperado, em razão de que o atual presidente Jair Messias Bolsonaro se contrapôs ao processo de criação de uma vacina chinesa no país.

ANÚNCIO

A vacinação em massa ainda não começou. A desinformação e a hesitação da vacina estão aumentando. Todavia, o Brasil já teve seus primeiros vacinados contra a COVID-19 essa semana e entusiasmou a população a confiar que em breve o processo de vacinação em massa pode acontecer de fato. 

Qual é a eficácia da vacina usada no Brasil?

Devastado pelo coronavírus, Brasil deposita esperanças na vacina chinesa com o inicio das vacinações no país
Foto: (Reprodução/ Internet).

As autoridades locais anunciaram, dias depois, que a vacina produzida pela empresa chinesa Sinovac – e testada em 12.000 brasileiros – era 78% eficaz na proteção contra casos moderados e graves de covid-19. 

Leia também: O coronavírus nos tornou consumidores mais éticos?

ANÚNCIO

Porém, a pouco, eles esclareceram nos últimos dias que sua taxa de eficácia entre todos os casos era de somente 50,4%. Isso ultrapassa o limite estabelecido pela Organização Mundial da Saúde, mas por uma margem bem curta.

À medida que os países mais ricos implantam vacinas com taxas de eficácia superiores a 90%, os países mais pobres ficam com menos opções. 

Devastado pelo coronavírus, Brasil deposita esperanças na vacina chinesa com o inicio das vacinações no país
Foto: (Reprodução/ Internet).

O Brasil não está em condições de competir com países muito ricos para comprar vacinas como as da Pfizer e Moderna”, disse Natália Pasternak Taschner, cientista que assessora autoridades sanitárias daqui sobre o lançamento da vacina. 

Leia também: Meses após a infecção, 76% dos pacientes com COVID-19 ainda sofrem de sintomas

Há de se lembrar também que o presidente brasileiro se pronunciou, dizendo que “a vacina não é atribuída a ninguém, a não ser somente o Brasil”, isso em decorrer que após o inicio do processo de vacina, muito crédito foi atribuído ao governador do estado de São Paulo, João Dória. 

A CoronaVac é uma esperança para os brasileiros

Devastado pelo coronavírus, Brasil deposita esperanças na vacina chinesa com o inicio das vacinações no país
Foto: (Reprodução/ Internet).

A Sinovac defendeu sua vacina, chamada CoronaVac, dizendo que é eficaz na prevenção de sintomas graves e que sua taxa de eficácia pode ser mais alta para a população em geral do que para os trabalhadores médicos que foram os participantes do ensaio aqui.

O Brasil e outros países planejam usar a vacina o mais rápido possível. A Turquia disse na quarta-feira que concedeu autorização de emergência ao CoronaVac. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, foi à televisão para receber a primeira dose do país.

Leia também: Para o melhor ou para o pior, o COVID-19 coloca a pesquisa científica na frente de mais pessoas do que nunca

Pesquisas revelaram que 97% dos brasileiros acreditam na importância da vacinação de crianças, isso no ano passado, em 2020. 

Entretanto, agora em plena pandemia 72% das pessoas nas cidades do Rio e São Paulo dizem que pretendem receber a vacina contra o coronavírus.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: The Washington Post

ANÚNCIO