Coronavírus: Irã liberta temporariamente 54.000 prisioneiros para combater a epidemia

ANÚNCIO
O Irã libertou temporariamente mais de 54.000 prisioneiros, em um esforço para combater a propagação da nova doença de coronavírus em prisões superlotadas.

O porta-voz do judiciário, Gholamhossein Esmaili, disse a repórteres que os presos foram libertos depois que o resultado do teste para o Covid-19 fosse negativo e pagar fiança.

ANÚNCIO

“Prisioneiros de segurança” condenados a mais de cinco anos não serão libertados.

A trabalhadora de caridade britânico-iraniana Nazanin Zaghari-Ratcliffe pode ser libertada em breve, de acordo com um deputado britânico.

Tulip Siddiq citou o embaixador iraniano no Reino Unido dizendo que Zaghari-Ratcliffe “pode ​​ser libertada com licença hoje ou amanhã”.

ANÚNCIO

Seu marido disse no sábado que acreditava que ela havia contraído o Covid-19 na prisão de Evin em Teerã e que as autoridades estavam se recusando a testá-la.

Mas Esmaili insistiu na segunda-feira que Zaghari-Ratcliffe havia entrado em contato com sua família e “contado sobre sua boa saúde”.

Zaghari-Ratcliffe foi presa por cinco anos em 2016 após ser condenada por acusações de espionagem que ela negou. O Reino Unido também insistiu que ela é inocente.

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores disse: “Apelamos ao governo iraniano para permitir imediatamente que profissionais de saúde entrem na prisão de Evin para avaliar a situação dos cidadãos de dupla nacionalidade britânico-iraniana no país”.

Fonte: BBC.
Traduzido e adaptado por equipe Saibamais.
ANÚNCIO