As compras online explodiram na pandemia. E as embalagens dos produtos nesse processo?

ANÚNCIO

À medida que os pacotes invadem as casas, o mesmo acontece com a embalagem que mantém seu conteúdo intacto.

Resíduos de embalagens são uma grande parte do motivo pelo qual, exceto por uma breve incursão nas compras online em 2019, muitos investidores tem resistido principalmente a vender seus produtos em plataformas online.

ANÚNCIO

O transporte de alguns produtos requer recipientes isolados, embalados com gelo seco e envoltos em plástico-bolha, projetados para evitar que os produtos se estraguem antes de estourar.

As compras online explodiram na pandemia. E as embalagens dos produtos nesse processo?
Pacotes coloridos de papelão. Foto: (Reprodução/ Internet).

Outra razão de muitos se preocuparem com esse fator é que os custos agregados de todas essas coisas fazem pouco sentido financeiro, tendo em vista o encarecimento do produto por conta da embalagem do mesmo.

O meio ambiente é uma preocupação crucial

Os ambientalistas já estavam se preparando para o excesso de malas-diretas acolchoadas, papelão ondulado, plástico termorretrátil e almofadas de ar infláveis ​​que o aumento das compras online prometia deixar em seu rastro. A pandemia apenas acelerou a linha do tempo.

ANÚNCIO

Leia também: O caso das grandes cidades em um mundo pós-pandemia

As remessas de caixas de papelão ondulado aumentaram desde março, quando aumentaram 9% ano após ano, de acordo com a Fiber Box Association.

A Technavio, uma empresa de pesquisa de mercado, estima que a demanda por produtos de ar cheio deve aumentar em US $ 1,16 bilhão entre 2020 e 2024 por causa do aumento nas vendas online.

É possível um mundo sem as embalagens?

 

Embora a embalagem de papel não seja totalmente benigna, cerca de 3 bilhões de árvores são despolpadas todos os anos para produzir 241 milhões de toneladas de caixas de transporte, embalagens de papelão, embalagens vazias e outras embalagens de papel, de acordo com o grupo de conservação florestal Canopy.

O uso de plásticos apresenta a maior preocupação dos ambientalistas, pois podem persistir no meio ambiente, às vezes por centenas de anos. No vídeo acima é possível ver uma loja que não faz uso de embalagens não reutilizáveis, como uma alternativa de salvar o meio ambiente.

Veja também: Meio Ambiente: Nem mesmo o Monte Everest escapa do plástico.

E sua reciclabilidade costuma ser superestimada. Atualmente, menos de 14% das quase 86 milhões de toneladas de embalagens plásticas produzidas globalmente a cada ano são recicladas. A grande maioria é depositada em aterros, incinerada ou deixada para poluir os cursos de água e envenenar a vida selvagem.

Compras online e o consumo de embalagens

A trajetória ascendente das compras online não deve reverter o curso tão cedo.

Os especialistas prevêem que esse comportamento permanecerá persistente mesmo depois que a pandemia for contida. Uma pesquisa com 2.000 adultos americanos conduzida pela McKinsey & Company em novembro, por exemplo, encontrou um aumento líquido de 40% na intenção entre os entrevistados de gastar online após a Covid-19.

Foto: (Reprodução/ Internet).

Além disso, o fluxo de pacotes não segue uma direção. Mesmo antes do Natal, os varejistas já se preparavam para o dobro de devoluções do que no ano passado, e nem sempre na embalagem original, o que poderia significar ainda mais plástico e papel.

Repensar a definição de embalagem pode ser uma maneira de sair desse atoleiro, mas os esforços atuais continuam sendo específicos e limitados em sua aceitação.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: Vox, Gaon Connection

ANÚNCIO