Como formar com segurança uma ‘bolha social’ pandêmica

ANÚNCIO

Após nove meses de pandemia de coronavírus, o clima está esfriando. O Dia de Ação de Graças e o Natal estão no horizonte. 

Naturalmente, muitos americanos ficarão tentados a se misturar em ambientes fechados com amigos e familiares.

ANÚNCIO

Formar “bolhas sociais” – pequenos grupos que concordam em passar algum tempo juntos em ambientes fechados, exclusivamente entre si – pode ser a maneira mais segura de fazer isso.

Como formar com segurança uma 'bolha social' pandêmica
(Kosamtu / Getty Images)

Mas especialistas em saúde pública dizem que a abordagem ainda é um tanto arriscada, visto que os EUA estão observando um número recorde de novos casos de coronavírus. 

Leia também: À medida que o vírus aumenta, a Europa fica com poucos leitos de UTI

ANÚNCIO

Quanto mais rígidas as restrições do grupo da bolha, porém, mais esse risco diminui.

Dicas para ter um ciclo social seguro

Existem algumas estratégias para manter esse risco baixo:

1. Mantenha sua bolha pequena.

Em um cenário ideal, os especialistas recomendam evitar o contato próximo e interno com qualquer pessoa fora de sua casa. Se você decidir expandir sua bolha, o mínimo de famílias possível ainda é o melhor.

2. Quarentena por duas semanas antes.

Os sintomas do coronavírus podem levar até 14 dias para se manifestar depois que uma pessoa é infectada, portanto, os especialistas recomendam esperar duas semanas antes de formar uma bolha para garantir que todos os membros estejam livres dos sintomas.

Veja também: É oficial. O mundo já ultrapassou 50 milhões de casos confirmados de coronavírus

Durante esse tempo, todo o grupo deve evitar atividades não essenciais.

3. Mantenha as janelas abertas.

As reuniões ao ar livre são geralmente mais seguras do que as internas, mas são menos viáveis ​​durante o inverno. A segunda melhor opção, dizem os especialistas, é manter uma sala bem ventilada.

4. Máscaras e distanciamento social ainda são aconselhados.

Os especialistas concordam amplamente que as máscaras e o distanciamento social ainda devem ser aplicados dentro de uma bolha. Idealmente, as pessoas deveriam permanecer a 6 pés (2 metros) de distância, embora 4 pés (1 metro) de separação em um espaço apertado ainda seja melhor do que nada, disse Weisenberg.

Leia também: Irã e Líbano impõem restrições e recolhe, devido à pandemia do COVID-19

Usar máscaras, mesmo que apenas de vez em quando, pode ajudar a diminuir o risco do grupo.

5. Não se misture com indivíduos vulneráveis.

Como as bolhas ainda apresentam algum risco, os especialistas não recomendam formá-las com pessoas idosas (geralmente com mais de 60 anos), mulheres grávidas ou pessoas com problemas de saúde pré-existentes, incluindo obesidade, hipertensão e diabetes.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO