Cientistas do Reino Unido pedem cautela quanto a alegações de uma cepa SARS-CoV-2 particularmente contagiosa

ANÚNCIO

Uma nova cepa de coronavírus pode estar alimentando um aumento na disseminação pelo sul do Reino Unido, de acordo com o secretário de saúde Matt Hancock.

Nos últimos dias, graças à nossa capacidade genômica de classe mundial no Reino Unido, identificamos uma nova variante do coronavírus, que pode estar associada à disseminação mais rápida no sul da Inglaterra“, disse Hancock na segunda-feira, falando no Câmara dos Comuns.

ANÚNCIO

Hancock acrescentou que não há evidências que sugiram que esta nova cepa seja mais mortal ou resistente às vacinas. Mas poderia ser mais transmissível, disse ele: “A análise inicial sugere que esta variante está crescendo mais rápido do que as variantes existentes.”

Cientistas do Reino Unido pedem cautela quanto a alegações de uma cepa SARS-CoV-2 particularmente contagiosa
Foto: (Reprodução/ Internet).

Hancock disse que pelo menos 60 autoridades locais diferentes viram infecções da variante, a Organização Mundial de Saúde foi notificada e cientistas do Reino Unido estão fazendo estudos detalhados, de acordo com a BBC. Ele não forneceu publicamente quaisquer dados adicionais sobre a variante, no entanto.

Leia também: Os russos estão sendo instruídos a não beber antes e depois das vacinas COVID-19

ANÚNCIO

Londres e grande parte do sul da Inglaterra serão colocados no “nível 3”, o nível mais estrito de bloqueio, a partir da meia-noite de terça-feira, disse Hancock. Isso significa que cerca de 34 milhões de britânicos estão agora em áreas de nível 3, nas quais bares e restaurantes estão fechados.

No entanto, os cientistas estão pedindo calma até que se saiba mais sobre a variante do coronavírus mencionada por Hancock.

‘É muito cedo para se preocupar’ com esta nova variante

Cientistas do Reino Unido pedem cautela quanto a alegações de uma cepa SARS-CoV-2 particularmente contagiosa
Foto: (Reprodução/ Internet).

Como todos os vírus, o coronavírus sofre mutação com o tempo. Portanto, os cientistas coletam regularmente amostras do coronavírus desde o início da pandemia e as sequenciam geneticamente para rastrear como ele muda.

Saiba mais: Cientistas identificam variantes genéticas ligadas ao risco de COVID-19 grave

De acordo com Alan McNally, professor de genômica da Universidade de Birmingham, laboratórios de teste em todo o Reino Unido “pegaram” a nova variante nas últimas semanas.

A variante inclui uma mutação na proteína spike do vírus, chamada N501Y. Esse pico é o que o coronavírus usa para invadir nossas células, portanto, é possível que um ajuste nele torne mais fácil para o vírus infectar nossos corpos.

As mutações não afetam necessariamente o comportamento de um vírus

Cientistas do Reino Unido pedem cautela quanto a alegações de uma cepa SARS-CoV-2 particularmente contagiosa
Foto: (Reprodução/ Internet).

Outros cientistas também hesitam em tirar conclusões com base nas notícias dessa nova variante.

Hodcroft disse que a maioria das mutações que sua equipe viu até agora são inofensivas e que o coronavírus está  mudando lentamente.

Leia também: As primeiras 6,4 milhões de doses serão um teste crucial da logística de vacinação da Covid-19

Há uma variante,  chamada 614G , que pode ser mais transmissível do que o vírus original, acrescentou ela, mas essa questão não foi resolvida.

Jonathan Ball, um virologista molecular da Universidade de Nottingham, adotou um tom cauteloso em sua declaração ao Science Media Center.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO