Primeiro caso confirmado de transmissão COVID-19 para macacos de grande porte

ANÚNCIO

Vários gorilas do San Diego Zoo Safari Park testaram positivo para coronavírus no que se acredita ser o primeiro caso conhecido entre grandes macacos.

Pelo menos dois gorilas do zoológico de San Diego, na Califórnia, contraíram com confirmação o coronavírus, o primeiro caso conhecido de transmissão natural para grandes macacos, disseram autoridades na segunda-feira.

ANÚNCIO

Dois primatas começaram a tossir na semana passada e desde então testaram positivo para COVID-19, enquanto um terceiro está apresentando sintomas, disse o governador Gavin Newsom.

Primeiro caso confirmado de transmissão COVID-19 para macacos de grande porte
Vários membros da tropa de gorilas do zoológico contraíram coronavírus. Foto: (Reprodução/ Internet).

Acredita-se que eles contraíram o vírus de um funcionário assintomático do zoológico, embora isso ainda não tenha sido confirmado.

Além de algum congestionamento e tosse, os gorilas estão bem“, disse a mundialmente famosa diretora-executiva do zoológico, Lisa Peterson, em um comunicado.

ANÚNCIO

A tropa permanece em quarentena e está comendo e bebendo. Temos esperança de uma recuperação completa.

Gorilas testados depois que começaram a tossir

Especialistas em vida selvagem expressaram preocupação com o coronavírus infectando gorilas, uma espécie ameaçada de extinção que compartilha 98,4% de seu DNA com humanos.

Gorilas compartilham até 98% de seu DNA com humanos, e estudos descobriram que alguns primatas não humanos são suscetíveis à infecção por COVID-19.

Primeiro caso confirmado de transmissão COVID-19 para macacos de grande porte
Parece que a infecção veio de um membro da equipe de proteção da vida selvagem do parque, que também testou positivo para o vírus. (AP: San Diego Zoo Safari Park)

Ainda não se sabe se os gorilas terão uma reação grave à doença que matou 1,94 milhão de humanos, ou se outros membros da tropa também foram infectados.

Leia também: Como as novas variantes do Covid-19 podem representar uma ameaça à vacinação

O San Diego Zoo Safari Park, onde os gorilas são mantidos, está fechado para visitantes desde o início de dezembro, à medida que casos recordes começaram a surgir no sul da Califórnia.

Os trabalhadores são obrigados a usar equipamentos de proteção individual, como máscaras, quando estiverem perto dos gorilas, disse o zoológico.

Gorilas compartilham uma grande porcentagem do seu DNA com humanos

Foto: (Reprodução/ Internet).

Os gorilas infectados no parque de safári de San Diego são gorilas das planícies ocidentais, cuja população diminuiu mais de 60% nas últimas duas décadas por causa da caça ilegal e doenças, de acordo com o World Wildlife Fund.

O safari park testou as fezes da tropa depois que dois macacos começaram a tossir em 6 de janeiro.

Leia também: Cientistas descobriram uma maneira totalmente nova de as cobras se moverem, e é tão estranho

Funcionários do zoológico estavam conversando com especialistas que estavam tratando o coronavírus em humanos para o caso de os animais desenvolverem sintomas mais graves.

Eles permanecerão juntos, pois separá-los pode ser prejudicial para os gorilas que viviam em grupos coesos.

Primeiro caso confirmado de transmissão COVID-19 para macacos de grande porte
Foto: (Reprodução/ Internet).

O safári parque na segunda-feira acrescentou mais medidas de segurança para sua equipe, incluindo a exigência de proteção facial e óculos de proteção ao trabalhar próximo aos animais.

Saiba mais: Os primeiros resultados sugerem que a vacina Pfizer funcionará contra as mutações do coronavírus

A confirmação de que os gorilas eram suscetíveis ao coronavírus contribuíram para informações sobre como a pandemia pode afetar essas espécies em seus habitats nativos quando entraram em contato com humanos e materiais humanos, disseram os funcionários do parque.

O San Diego Zoo Safari Park planeja compartilhar o que aprende com autoridades de saúde, conservacionistas e cientistas para ajudar a desenvolver medidas para proteger os gorilas nas florestas da África.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert e ABC News

ANÚNCIO