Brasil vai retomar ensaios clínicos de vacina candidata a vírus no país

ANÚNCIO

O órgão regulador da saúde do Brasil autorizou na quarta-feira a retomada dos testes clínicos em larga escala de uma potencial vacina contra o coronavírus desenvolvida por uma empresa chinesa pouco mais de um dia após o encerramento do teste.

A decisão inicial da Anvisa gerou uma enxurrada de denúncias de que a ação era mais política do que científica.

ANÚNCIO

A agência citou um “evento adverso sério” que ocorreu em 29 de outubro como o motivo para interromper os testes na noite de segunda-feira, mas disse na quarta-feira que agora “tem elementos suficientes para permitir que a vacinação seja retomada”.

Brasil vai retomar ensaios clínicos de vacina candidata a vírus no país
O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, em entrevista coletiva sobre a decisão do órgão regulador nacional de saúde de suspender os ensaios clínicos da vacina experimental contra o coronavírus CoronaVac, na sede da agência em Brasília, Brasil. Foto: (Reprodução/ Internet)

A vacina potencial CoronaVac está sendo desenvolvida pela empresa biofarmacêutica chinesa Sinovac e, no Brasil, seria produzida principalmente pelo Instituto Butantan, estatal de São Paulo.

Fique por dentro: A Rússia afirma que a vacina Sputnik V Covid é 92% eficaz

ANÚNCIO

Adversários do presidente Jair Bolsonaro disseram suspeitar que a suspensão foi motivada pela desconfiança frequentemente declarada do presidente em relação à China e sua rivalidade política com o governador de São Paulo, embora funcionários da Anvisa tenham insistido que a decisão foi baseada puramente em questões técnicas.

Leia também: A Pfizer diz que a vacina COVID-19 parece 90% eficaz

Cerca de 10.000 voluntários estão participando da fase três de testes da candidata Sinovac, uma das várias vacinas potenciais em teste em uma das nações mais afetadas pelo COVID-19.

Brasil vai retomar ensaios clínicos de vacina candidata a vírus no país
Foto: (Reprodução/ Internet).

Bolsonaro questionou repetidamente a eficácia prospectiva do CoronaVac, e no mês passado a rejeitou, dizendo que os brasileiros não seriam usados ​​como cobaias. Ele comemorou a suspensão da Anvisa na terça-feira, dizendo que isso mostrava que “Jair Bolsonaro vence novamente”.

Leia também: Apoiadores interrompem testes brasileiros de vacina chinesa

Bolsonaro não comentou imediatamente após a decisão da Anvisa na quarta-feira de reiniciar o julgamento.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

ANÚNCIO