Besouro exótico possuí uma casca extremamente resistente, saiba mais sobre

ANÚNCIO

O diabólico besouro de ferro (Phloeodes diabolicus) da América do Norte não tem o brilho visual de alguns de seus primos besouros mais brilhantes, parecendo mais um pequeno pedaço de casca retorcida ou pedra. 

Mas o que falta em deslumbramento é compensado em durabilidade: seu exoesqueleto é um dos materiais mais resistentes do mundo natural. Agora os cientistas podem ter finalmente descoberto seus segredos – e estão começando a aplicá-los em novos materiais.

ANÚNCIO

Além de ser incrivelmente difícil para os predadores atacarem, o diabólico besouro de ferro é conhecido por sobreviver não apenas a pisadas humanas, mas também a ser atropelado por carros. 

Besouro exótico possuí uma casca extremamente resistente, saiba mais sobre
Foto: (Reprodução/ Internet).

Tão resistente é seu exoesqueleto que os entomologistas acharam um desafio montar o besouro para exibição usando pinos de aço.

Mesmo que ele não possa voar, as habilidades de sobrevivência do inseto estão às alturas. E os cientistas acabaram de usar um conjunto de ferramentas para descobrir as propriedades físicas e mecânicas que dão ao diabólico besouro de ferro sua incrível fortaleza.

ANÚNCIO

Leia também: O buraco do ozônio sobre a Antártica se tornou muito mais profundo e amplo em 2020

O pequeno besouro mede pouco mais de um centímetro de comprimento e passa o tempo rastejando pelos desertos do sudoeste da América do Norte, espreitando sob as rochas ou sob a casca das árvores. A equipe coletou seus besouros na região do Inland Empire, na Califórnia.

Besouro exótico possuí uma casca extremamente resistente, saiba mais sobre
Foto: (Reprodução/ Internet).

Besouros semelhantes foram capazes de suportar uma carga de pico média de menos de 68 Newtons. O diabólico besouro de ferro, por outro lado, poderia suportar uma força máxima de 149 Newtons – isso é uma queda de boca 39.000 vezes o seu próprio peso corporal.

Imagine o peso de ter 39.000 clones empilhados em cima de você. Bastante, né?

De qualquer forma, o próximo passo foi tentar descobrir como o pequeno besouro faz o que faz, para o que a equipe empregou espectroscopia, microscopia eletrônica de varredura e tomografias para estudar de perto a casca dura.

Leia também: NASA acaba de ser derrubada com sucesso em um asteróide

Como o diabólico besouro revestido de ferro não voa, seus élitros endureceram ainda mais e ficaram presos ao longo de uma linha de sutura para agir mais como uma armadura.

Besouro exótico possuí uma casca extremamente resistente, saiba mais sobre
Foto: (Reprodução/ Internet).

Mas a linha de sutura ao longo da qual os élitros do besouro são fundidos acabou desempenhando um papel crucial em sua resistência.

Veja também: Desde 1995, perdemos mais de 50% dos corais da Grande Barreira de Corais

Depois de realizar testes de carregamento, eles descobriram que seu fixador era tão forte quanto os fixadores atualmente em uso, mas significativamente mais resistente. 

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO