Atualização sobre aulas online da rede pública

ANÚNCIO

Tudo parou. Essa foi uma das consequências da chegada da pandemia no Brasil. Um dos primeiros serviços a parar foram as aulas, começando pelo DF e depois em todo o território nacional, com isso, algo que ganhou ainda mais evidência foi o modelo EaD.

A adoção do modelo de educação a distância forçou professores, pais e alunos a se adaptarem com as aulas online. Essa postura adotada em muitos estados tem gerado diversas críticas e questionamentos.

ANÚNCIO

Para alunos da rede pública de ensino a situação é ainda mais complicada considerando a falta de estrutura e precariedade nas ferramentas para se adaptar ao modelo de ensino. Confira tualizações sobre as aulas online.

Atualização sobre aulas online da rede pública
Fonte (Reprodução/internet)

Vejas as atualizações a respeito da educação online nas redes públicas do Brasil.

Aulas online na rede pública

Embora as aulas online sejam uma alternativa para ajudar nesse período de quarentena, sendo uma medida adotada especialmente por escolas particulares, há um ponto que tem causado muita preocupação em gestores educacionais. A falta de estrutura na rede pública.

ANÚNCIO

A recomendação da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) é de que as aulas a distância não sejam usadas para substituir as aulas do calendário escolar, mas, que seja apenas como atividade complementar. A medida deve seguir assim por pelo menos o começo da adoção.

E nesse período, ainda para a Undime, deve ser avaliado se os estudantes estão de fato tendo acesso e se as aulas estão sendo eficazes para ensinar os alunos. Caso os indicadores sejam positivos, nesse caso, poderiam contar no calendário de alguma forma.

Como ficou o calendário letivo

Dentre os questionamentos sobre as consequências da quarentena na educação, um que se destaca é em relação ao calendário e como serão computadas as horas das aulas online. Afinal, o calendário da educação básica prevê, pelo menos, 200 dias letivos.

Ao lado da discussão sobre manter o calendário letivo ou não, há o debate em relação à data da prova do Enem. A data do exame gera discordâncias entre adiar ou não e, caso seja adiada, para quando. No dia 19 de maio o Ministério da Educação debateu uma medida de flexibilização do calendário.

O Enem 2020

O Enem é um dos pontos que ainda não foram definidos, sendo que o presidente do INEP afirmou que existe a possibilidade da prova ser adiada, já o ministro da educação se posicionou contra o adiamento.

Contudo, depois da aprovação do senado, o ministro já tem se mostrado mais flexível em relação à esse ponto. Mas, ainda que ela seja adiada, não há previsão de para que data seria e, nem mesmo, se aconteceria ainda em 2020.

Medidas tomadas pelos estados

Até o momento, ainda não há uma orientação nacional, dizendo o que deve ser feito durante essa crise, de forma que cada estado está agindo de forma independente. O Distrito Federal e o estado de São Paulo, por exemplo, já definiram algumas regras como aulas online, plataformas digitais e, até mesmo algumas vídeo aulas transmitidas por canais abertos na TV.

Outros lugares, como a prefeitura municipal de Belo Horizonte, continua sem tomar nenhuma providência por considerar que qualquer ação nesse sentido precisa de planejamento prévio e formação para os professores.

Para a Undime, esse é um posicionamento extremamente prejudicial, pois é algo que irá realçar as desigualdades, além de dificultar em relação à organização e planejamento de calendários.

ANÚNCIO