Ativista francês que trabalhou com indígenas da Guatemala foi morto a tiros

ANÚNCIO

Um trabalhador francês dos direitos humanos que ajudou indígenas na Guatemala foi morto a tiros.

Benoît Maria, que chefiava uma ONG agrícola, foi morto enquanto dirigia por uma área indígena a cerca de 160 km (100 milhas) a noroeste da cidade da Guatemala na segunda-feira.

ANÚNCIO

Não está claro quem o matou ou por quê. Seu grupo, Agronomes et Veterinaires Sans Frontieres (AVSF), disse que foi um ataque “covarde”.

A embaixada francesa pediu às autoridades que garantam que “a justiça possa ser feita rapidamente”.

“É com grande tristeza que confirmamos a morte ontem à noite de nosso colega Benoit Maria”, disse a AVSF em um comunicado.

ANÚNCIO

“Ele foi assassinado … a caminho de seu local de trabalho em comunidades indígenas. Por mais de 20 anos [ele] esteve encarregado de … defender os direitos dos camponeses e das comunidades indígenas.”

O Sr. Maria dirigia uma van perto da aldeia indígena de San Antonio Ilotenango quando foi atacado.

Em nota, a embaixada francesa na Guatemala informou que está em contato com as autoridades locais para “garantir a solução desse crime”.

“Bem conhecido na embaixada francesa, o Sr. Maria trabalhou para melhorar a situação das pessoas mais desfavorecidas no oeste do país”, acrescentou o comunicado.

O povo indígena maia representa cerca de metade da população da Guatemala, mas defensores dos direitos humanos dizem que enfrentam desigualdade e discriminação persistentes.

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is

Fonte: BBC

ANÚNCIO