As vacinas contra o coronavírus ainda não estão sendo testadas em crianças, e os especialistas estão preocupados

ANÚNCIO

O progresso nas vacinas contra o  coronavírus avançou notavelmente rápido  desde que o novo vírus foi identificado e sequenciado pela primeira vez em janeiro. 

Os principais disparos experimentais estão agora na fase final dos ensaios clínicos, com resultados esperados já no próximo mês.

ANÚNCIO

As crianças ainda não participaram de nenhum ensaio de vacina contra o coronavírus, deixando alguns especialistas preocupados com a possibilidade de as crianças ficarem sem uma vacina COVID-19 viável por algum tempo.

main article image
(Jonathan Kirn/Getty Images)

As farmacêuticas geralmente testam uma vacina em crianças antes de solicitar a aprovação para aplicá-la em crianças.

Foi pedido para empresas como Pfizer ,  Moderna ,  AstraZeneca e  Johnson & Johnson  realizarem seus planos de testar suas vacinas contra o coronavírus em crianças.

ANÚNCIO

Leia também: As crianças podem passar Coronavírus aos adultos?

Todas as quatro empresas nos disseram que planejam fazer isso, mas nenhuma forneceu uma estimativa de quando uma injeção estará disponível para crianças.

No momento, todas as quatro empresas estão no estágio final de teste de suas vacinas experimentais em adultos.

O progresso da vacina contra COVID-19 se concentrou na elaboração e teste de uma vacina para adultos. 

Foto: (Reprodução/ Internet).

Moderna disse ao Business Insider que planeja iniciar um teste pediátrico para sua injeção antes do final do ano, enquanto se aguarda a aprovação dos reguladores.

“Sujeito à aprovação regulamentar, nossa intenção é começar no final deste ano”, disse Ray Jordan, diretor de assuntos corporativos da Moderna.

Fique por dentro: Reabertura de escolas: Podemos realmente manter professores e crianças em segurança?

Jordan acrescentou que a Moderna não tem mais nada a compartilhar publicamente sobre o momento, os protocolos ou o financiamento para estudos pediátricos “porque essas discussões regulatórias ainda estão em andamento”.

As farmacêuticas assumem um compromisso geral com poucos detalhes para estudar vacinas em crianças

Foto: (Reprodução/ Internet).

A falta de informação sobre como e quando os fabricantes planejam testar suas vacinas contra o coronavírus em crianças tem causado preocupação entre alguns pediatras e especialistas em vacinas.

Veja também: Cientistas descobrem que o sono pode afetar na nossa felicidade

“No momento, estou muito preocupado com a possibilidade de não ter uma vacina disponível para crianças até o início do próximo ano letivo”, disse Dr. Evan Anderson, pediatra do Children’s Healthcare of Atlanta,  a Carl Zimmer do The New York Times.

O BI perguntou aos principais farmacêuticos se eles esperavam receber financiamento do governo para realizar esses testes. Nenhum respondeu diretamente à pergunta, embora um porta-voz da AstraZeneca tenha dito que seu acordo com o governo dos EUA inclui estudos pediátricos.

A iniciativa da vacina contra o coronavírus do governo dos Estados Unidos comprometeu cerca de US $ 10 bilhões a empresas farmacêuticas para financiar testes, produzir doses e comprar antecipadamente um estoque de várias vacinas experimentais. 

Os líderes da Operação Warp Speed não traçaram, ou mesmo mencionaram, um plano para vacinar crianças nos últimos meses.

Casos em pessoas idosas são mais graves? 

Covid-19 em idosos: por que eles são mais vulneráveis ao novo coronavírus?  - Previva
Foto: (Reprodução/ Internet).

Embora as crianças possam não sofrer os resultados graves da COVID-19 observados em idosos, encontrar uma vacina para crianças ainda é um elemento importante para combater essa pandemia.

“Embora as crianças infectadas com SARS-CoV-2 sejam mais propensas a ser assintomáticas, podem ocorrer doenças sintomáticas e às vezes graves”

Além disso, as crianças podem ser importantes na disseminação da SARS-CoV-2 para a comunidade.

Leia também: Pessoas mais velhas estão física e mentalmente em melhor forma do que a 30 anos atrás, afirma o estudo da Finlândia

Especificamente para COVID-19, as taxas de mortalidade e hospitalização são muito piores para os idosos. As doenças infantis causadas pelo novo coronavírus têm sido extremamente raras,  como um punhado de casos relatados da doença de Kawasaki.

As empresas farmacêuticas disseram que sua prioridade na resposta à pandemia era proteger primeiro as populações mais suscetíveis a resultados graves.

Um porta-voz da AstraZeneca disse que a empresa iria começar a matricular crianças “assim que dados suficientes forem coletados em adultos, indicando que o AZD1222 tem potencial para ser seguro e protetor para crianças”.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte:  ScienceAlert

ANÚNCIO