As pessoas passam fome no Tigray, na Etiópia, à medida que o conflito avança

ANÚNCIO

As pessoas estão passando fome na rebelde região de Tigray, no norte da Etiópia, à medida que estradas são bloqueadas, aeroportos são fechados e o governo federal marcha em sua capital em um impulso final para vencer uma guerra de duas semanas. Mas os moradores têm medo de sair por medo de serem mortos.

Caminhões carregados com alimentos, combustível e suprimentos médicos ficaram presos fora das fronteiras da região desde o anúncio de 4 de novembro pelo primeiro-ministro vencedor do Prêmio Nobel da Paz da Etiópia, Abiy Ahmed, de que uma ofensiva militar havia começado em resposta a um ataque das forças regionais de Tigray em um base militar.

ANÚNCIO

Os bancos em Tigray permaneceram fechados por dias, impedindo as transferências humanitárias de dinheiro para cerca de 1 milhão de pessoas, ou um sexto da população de Tigray. E mesmo antes da luta, um surto de gafanhotos estava destruindo plantações.

As pessoas passam fome no Tigray, na Etiópia, à medida que o conflito avança
Foto: (Reprodução/ Internet)

Quase 30.000 etíopes fugiram para o vizinho Sudão, sobrecarregando as aldeias que foram elogiadas por sua generosidade, embora tenham pouco a oferecer.

Mas muitos dentro de Tigray não podem ou não querem sair, assustados com a ameaça de violência étnica. 

ANÚNCIO

O governo federal da Etiópia tem prometido um fim rápido aos combates quase desde o início. Agora, grupos humanitários, especialistas e até mesmo o governo dos Estados Unidos mostram sinais de desespero.

Leia também: População local da Etiópia está buscando fugir dos conflitos civis presentes no país.

Bem mais de 1.000 cidadãos dos Estados Unidos e de outros países foram considerados presos, junto com a maior parte dos residentes da região de Tigray. O governo regional de Tigray afirma que mais de 100.000 civis foram deslocados e buscam assistência humanitária urgente.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

ANÚNCIO